Porto Velho (RO) terça-feira, 25 de fevereiro de 2020
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Rondônia nos planos da Odebrecht, que planeja investir US$ 10 bi em dez anos


Agência O Globo SÃO PAULO - A Construtora Norberto Odebrecht vai investir US$ 10 bilhões nos próximos dez anos em projetos de infra-estrutura no Brasil e no exterior. O anúncio foi feito ontem pelo presidente da empresa, Marcelo Odebrecht. Ele destacou o interesse em participar no megaprojeto de construção de quatro hidrelétricas no Rio Madeira, na região amazônica, com custos totais previstos de US$ 5 bilhões para cada uma delas. Além de geração de energia elétrica, o projeto envolverá a criação de uma malha hidroviária e obras de infra-estrutura de transportes ao longo de quatro mil quilômetros, ligando o Brasil à Bolívia e ao Peru. - O projeto Madeira será o maior investimento privado em infra-estrutura do mundo - afirmou Odebrecht, neto do fundador da construtora, Norberto Odebrecht. Para tocar e viabilizar as obras desses projetos, a empresa está montando um consórcio com Furnas, bancos de investimentos e fundos de pensão. À frente do consórcio estará a Odebrecht Investimentos em Infra-estrutura (OII), criada ano passado para cuidar da estruturação financeira de projetos de grande porte no Brasil e em outros 18 países onde a construtora está presente. Com faturamento previsto de US$ 3 bilhões para este ano - mais de 70% vindos dos negócios fora do país -, o grupo Odebrecht quer aumentar a participação de projetos no Brasil em suas receitas. O bom momento vivido pela construção civil no país fez a companhia voltar a investir mais fortemente no mercado local. Os negócios com construção residencial têm rendido entre R$ 300 milhões e R$ 400 milhões por ano. A ordem, agora, é aproveitar os incentivos ao setor para dobrar esse faturamento: - Nossa expectativa é faturar R$ 1 bilhão por ano só na área imobiliária - disse Odebrecht. Nascida na Bahia, em 1944, a Odebrecht foi responsável por várias obras públicas nas áreas de energia e transportes. Com a redução dos investimentos públicos em infra-estrutura no país, a empresa se voltou para o exterior. Agora, com a economia estabilizada e a perspectiva de o governo retomar os investimentos, a empresa voltou a olhar o Brasil como um país com alto potencial de negócios. As operações da empresa no exterior têm garantido o sucesso financeiro da empresa desde o início da década de 90, quando ingressou no mercado mais competitivo do mundo, os EUA. Hoje, a companhia detém a liderança no mercado de construções no sul da Flórida, com uma série de obras que vão de aeroportos e estradas a estádios e hotéis. O mais recente empreendimento será inaugurado amanhã. É o Carnival Center, um complexo para espetáculos na região central de Miami, que custou US$ 450 milhões. Só na Flórida, a empresa deve faturar este ano US$ 200 milhões.

Mais Sobre Política - Nacional

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Rede Brasil Atual - Deputados da oposição anunciaram hoje (5) que vão apresentar denúncia no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro da Edu

Jair Bolsonaro envia projeto que regulamenta exploração de terras indígenas

Jair Bolsonaro envia projeto que regulamenta exploração de terras indígenas

O presidente Jair Bolsonaro apresentou nesta quarta-feira (5) um projeto de lei (PL) para regulamentar a exploração de atividades econômicas em terras

Carta aberta ao Congresso Nacional pelas aprovações da PEC nº 108 de 2019ª

Carta aberta ao Congresso Nacional pelas aprovações da PEC nº 108 de 2019ª

Nos últimos anos voltou à tona a discussão sobre o excesso de regulamentação profissional no Brasil, numa   verdadeira afronta ao disposto no art. 5º,