Porto Velho (RO) quarta-feira, 11 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

RESÍDUOS SÓLIDOS: A responsabilidade dos consumidores


Política nacional prevê responsabilidade
de consumidores sobre resíduos sólidos

Sabrina Craide
Agência Brasil


Brasília - Além de estabelecer responsabilidades ao poder público, aos fabricantes e revendedores, a Política Nacional de Resíduos Sólidos prevê obrigações dos consumidores em relação ao reaproveitamento e à disponibilização de resíduos para coleta. O projeto de lei que cria a política foi lançado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 7 e encaminhado ao Congresso Nacional.

De acordo com o projeto, os consumidores devem acondicionar adequadamente e de forma diferenciada os resíduos sólidos gerados, tentando reduzir a sua geração e, após a utilização do produto, disponibilizar adequadamente os resíduos que possam ser reciclados.

Segundo o secretário de Recursos Hídricos e Ambientes Urbanos do Ministério do Meio Ambiente, Luciano Zica, o governo vai se dedicar à qualificação de gestores e de trabalhadores da reciclagem e coleta seletiva nos municípios, para assegurar que os cidadãos tenham meios de efetivar suas obrigações, como separar o lixo para coleta seletiva.

A proposta, acrescentou, também pretende fazer a educação ambiental para a mudança nos padrões de produção e consumo: "O consumidor precisa ajustar os seus padrões de consumo. Vai comprar uma aspirina numa farmácia, leva num saco plástico. Isso não faz sentido. Nós temos que trabalhar na consciência para que o cidadão mude os seus padrões."

O empresário e ex-deputado Emerson Kapaz, que foi o relator da Comissão Especial de Resíduos Sólidos da Câmara dos Deputados, também defende a educação dos consumidores. Segundo ele, o consumo consciente empurra a cadeia produtiva inteira na direção correta. "Se o consumidor não tiver essa percepção, por mais que se faça esse esforço, ele sempre esbarra na falta de educação ou na não percepção do consumidor de que ele é o grande agente desta mudança", avalia.

Kapaz diz que a responsabilização de consumidores, empresas e revendedores, prevista na proposta do governo, é uma questão que deve evoluir com o tempo. "Em algumas sociedades mais avançadas já há uma enorme consciência ambiental e uma capacidade de responsabilizar mais as empresas e os cidadãos. Aqui no Brasil isso ainda é uma evolução", afirma.

Mais Sobre Política - Nacional

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) cobrou do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) a votação, antes que encerre o prazo, da Medida Provisórias cri

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Por unanimidade e em ambiente virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão, tomada

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Neste ano e meio que ele está preso, não tive condições de viajar a Curitiba e fiquei esperando o amigo sair da prisão para poder falar com ele, certo

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p