Porto Velho (RO) segunda-feira, 9 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

PT vai questionar legalidade se Garibaldi decidir concorrer à reeleição do Senado


  
Marcos Chagas
Agência Brasil


Brasília - O PT vai questionar a legalidade da candidatura do presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), à reeleição ao cargo, caso ele confirme essa intenção. A informação é da líder do partido, senadora Ideli Salvatti (SC). Na sexta-feira (12), Garibaldi conversou com o líder do PMDB, Valdir Raupp (RO), e comunicou que colocaria seu nome para apreciação da bancada, em reunião da próxima quarta-feira (17).

Segundo Raupp, o presidente do Senado disse ter consultado o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Francisco Rezek, que considerou legal a sua candidatura. Para lastrear o parecer, Rezek afirmou que a reeleição não significaria, neste caso, recondução, uma vez que o atual presidente assumiu um mandato tampão sem ter passado pelas sessões preparatórias da disputa.

"Legalmente, com ou sem parecer, ele [Garibaldi Alves] foi eleito. Neste caso, o único que não poderia alegar que não foi eleito seria o Tião Viana (PT-AC), que é primeiro-vice presidente", disse Ideli. Ela acrescentou que, "se esta candidatura não for questionada por pessoas do PMDB, será contestada [pelo PT]. Não vamos admitir uma nova afronta [à legislação], como a que o Garibaldi fez, naquele arroubo de devolver a medida provisória das filantrópicas ao governo", afirmou a líder do PT.

Ideli Salvatti não poupou críticas à forma como o atual presidente se conduziu no comando do Senado. "Ele já criou uma crise institucional, já afrontou a legalidade e não vamos admitir mais uma". Para ela, se os peemedebistas insistirem numa eventual recondução de Garibaldi Alves a situação será decidida no voto o que, pessoalmente, ela não acredita que ocorra.

Segundo a senadora, a intenção manifestada por Garibaldi Alves Filho de concorrer a um novo mandato já teria sido questionada internamente no PMDB, pelo senador Jarbas Vasconcelos (PE). Para Ideli, "esse novo movimento" dos peemedebistas é um sinal claro de que o partido não tem candidato para concorrer à presidência do Senado.

Já o líder do PMDB, Valdir Raupp, confirmou a intenção do presidente do Senado de pôr seu nome à disposição da bancada para concorrer a um novo mandato. "Esse é um fato novo, que não vai trazer problemas para a bancada", ressaltou. Raupp disse que o nome de Garibaldi "passa tranqüilo" entre os 19 senadores peemedebistas.

De acordo com o líder, Garibaldi relatou que teria conversado com o senador José Sarney (PMDB-AP) sobre o assunto. Sarney, por sua vez, teria falado ao presidente do Senado que estava "recebendo pressões" para se candidatar mas que ainda não havia decidido se apresentaria ou não seu nome como alternativa para a presidência do Senado no biênio 2009-2010.


 

Mais Sobre Política - Nacional

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) cobrou do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) a votação, antes que encerre o prazo, da Medida Provisórias cri

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Por unanimidade e em ambiente virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão, tomada

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Neste ano e meio que ele está preso, não tive condições de viajar a Curitiba e fiquei esperando o amigo sair da prisão para poder falar com ele, certo

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p