Porto Velho (RO) terça-feira, 13 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

PT não deve reconduzir Berzoini de volta à presidência do partido


Maria Lima - Agência O Globo BRASÍLIA - Além de avaliar a relação do partido com o governo no próximo mandato, a Executiva Nacional do PT começa a discutir nesta terça-feira, em reunião que está sendo realizada no comitê da campanha de reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o novo comando do partido. O primeiro passo é reafirmar a permanência de Marco Aurélio Garcia na função até março ou abril, quando será escolhido o novo presidente. A solução evitaria a volta do deputado Ricardo Berzoini à direção do PT, da qual se afastou quando seu nome foi relacionado à compra de um dossiê contra políticos tucanos. (Conheça os personagens citados no caso)- Vamos fazer uma avaliação geral, mas o principal é reafirmar a permanência de Marco Aurélio até março ou abril - disse o líder do PT na Câmara, Henrique Fontana (RS).Berzoini deixou a presidência do PT no dia 6 de outubro, após admitir que sabia que assessores petistas entraram em contato com a revista "Época". Na ocasião, resaltou desconhecer que era para negociar o dossiê. Ele já tinha sido afastado da função de coordenador da campanha à reeleição de Lula.O governador eleito de Sergipe, Marcelo Déda, que não faz parte da Executiva, disse, por telefone, que a proposta de mudança no comando tem como objetivo dar um caráter nacional ao partido, e não se trata de uma reação aos paulistas. Déda disse que não basta fazer autocrítica, é preciso mudar:- Não é um movimento mesquinho por poder. O slogan não é o fim da paulistização ou anti-São Paulo, é a favor da nacionalização do partido, levando em conta que é preciso construir uma agenda de mudança efetiva. Não adianta o partido só se reunir, fazer uma autocrítica e dizer que está tudo bem. Isso não basta - disse.Já o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu voltou atrás na crítica que havia feito ao ministro Tarso Genro (Relações Institucionais) na segunda-feira em entrevista à TV Cultura. Na ocasião, Dirceu disse que Tarso não tinha "legitimidade e nem representatividade" para propor a "refundação" do PT. A afirmação fazia referência à declaração que o ministro fizera antes do segundo turno da eleição sobre a necessidade de o partido incorporar "novas pessoas" no segundo mandato de Lula.Em texto publicado na segunda-feira em seu Blog, Dirceu baixou o tom: "Cometi um erro e quero me penitenciar. Ao afirmar que o ministro Tarso Genro não tem legitimidade e nem representatividade para propor a refundação do PT, na verdade eu entendo que ele não tem é maioria, não acredito que a maioria do PT apóie a idéia de uma refundação. É evidente que Tarso Genro tem legitimidade para propor o que quiser e tem representatividade no partido, até porque é ex-presidente do PT e ministro do governo Lula", diz a nota.

Mais Sobre Política - Nacional

JUÍZA SUBSTITUTA DE MORO NEGA PEDIDO DE LULA PARA SER INTERROGADO DE NOVO

JUÍZA SUBSTITUTA DE MORO NEGA PEDIDO DE LULA PARA SER INTERROGADO DE NOVO

A juíza federal substituta Gabriela Hardt negou, nesta terça-feira (13), o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que ele

Bolsonaro anuncia o general Fernando Azevedo e Silva para a Defesa

Bolsonaro anuncia o general Fernando Azevedo e Silva para a Defesa

A pasta seria ocupada inicialmente pelo general Augusto Heleno

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

O exame tem validade de cinco anos para condutores com menos de 65 anos.

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro e Boulos precisam decidir se querem dar um passo em frente ou dois passos atrás.