Porto Velho (RO) sábado, 14 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

PSOL pede que Jarbas Vasconcelos divulgue nome de políticos corruptos




O PSOL encaminhou nesta terça-feira carta ao senador Jarbas Vasconcellos (PMDB-PE) pedido para que o parlamentar torne públicos os nomes dos integrantes do PMDB envolvidos em atos de corrupção. Como Jarbas declarou em entrevista à revista "Veja" que a maioria dos integrantes do PMDB "quer mesmo é a corrupção", integrantes do PSOL cobram que Jarbas divulgue os nomes aos quais se referiu.

"Para serem consequentes, suas denúncias devem vir acompanhadas do detalhamento de situações, nomes e fatos que gerem iniciativas aguardadas por toda a sociedade, em nome do interesse público. Esta seria uma saudável providência para que os fatos por Vossa Excelência relatados não caiam no esquecimento e possam ser devidamente apurados", diz o PSOL.

A carta, assinada pelo senador José Nery (PSOL-PA) e pelos deputados Chico Alencar (PSOL-RJ) e Ivan Valente (PSOL-SP), afirma que a divulgação dos nomes dos "corruptos" seria uma "enorme contribuição à moralização da vida pública brasileira".

O PSOL sugere a criação de um fórum permanente, no âmbito do Congresso Nacional, para discutir a ética na política. Segundo Alencar, o grupo deve ser criado depois do carnaval. "Estamos alinhados no combate efetivo os muitos focos de corrupção que contaminam a República. O PSOL jamais se furtou a exigir apurações, no mais das vezes engavetadas, quanto a casos concretos, como os mensalões petista e tucano, o escândalo sanguessuga e outros", afirma o partido na carta.

Os parlamentares elogiam a atitude de Jarbas ao afirmar que o peemedebista enfrenta, no PMDB, problemas semelhantes aos de outros partidos. "Os graves problemas do seu partido, similares ao de outros igualmente grandes, acometidos de nanismo moral, derivam de um sistema político calcado no patrimonialismo e no elitismo", diz o PSOL.

Acusações

Na entrevista à revista "Veja", Jarbas disse que boa parte do PMDB quer mesmo é corrupção. Ontem, em entrevista coletiva, o senador reafirmou todas as suas acusações.

"Para que o PMDB quer cargos? Para fazer negócios, ganhar comissões. Alguns ainda buscam o prestígio político. Mas a maioria dos peemedebistas se especializou nessas coisas pelas quais os governos são denunciados: manipulação de licitações, contratações dirigidas, corrupção em geral. A corrupção está impregnada em todos os partidos. Boa parte do PMDB quer mesmo é corrupção", disse. Jarbas afirmou ainda que o PMDB é um partido sem bandeiras, sem propostas, sem um norte. "É uma confederação de líderes regionais, cada um com seu interesse, sendo que mais de 90% deles praticam o clientelismo, de olho principalmente nos cargos.

" Sobre a eleição de José Sarney (PMDB-AP) à presidência do Senado, o senador afirmou que é um completo retrocesso. "A eleição de Sarney foi um processo tortuoso e constrangedor. Havia um candidato, Tião Viana (PT-AC), que, embora petista, estava comprometido em recuperar a imagem do Senado."

Fonte: FolhaNews

Mais Sobre Política - Nacional

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) cobrou do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) a votação, antes que encerre o prazo, da Medida Provisórias cri

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Por unanimidade e em ambiente virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão, tomada

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Neste ano e meio que ele está preso, não tive condições de viajar a Curitiba e fiquei esperando o amigo sair da prisão para poder falar com ele, certo

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p