Porto Velho (RO) sexta-feira, 13 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Pronaf Agroindústria chega ao Acre pela primeira vez



O ano de 2009 trouxe novidades para um grupo de 1,6 mil famílias de agricultores que trabalham com palmito, amendoim, leite, castanha, madeira e borracha no Acre. Pela primeira vez, os integrantes de seis cooperativas e associações do estado tiveram acesso ao crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) na modalidade Agroindústria (confira a tabela abaixo). Os recursos liberados, num valor total de R$ 3,8 milhões, vão ajudar os agricultores a beneficiar as produções e formar capital de giro. Com a iniciativa, será possível negociar a venda dos produtos a preços até três vezes mais altos que os praticados em 2008.

Essa é a expectativa de 100 famílias de assentados dos municípios de Xapuri, Capixaba, Acrelândia e Senador Guiomard, sócios da Cooperativa dos Produtores Florestais Comunitários (Cooperfloresta). "Até o ano passado, eles recebiam R$ 26 por metro cúbico de madeira. Agora, a cooperativa poderá comprar a mesma quantidade por R$ 79 e revender para empresas de outros estados", garante o gerente da Cooperfloresta, Adriano Trentin Fassini. Na cooperativa, a madeira será beneficiada e poderá ser aplicada em todos os tipos de usos. "Um diferencial importante da madeira de assentamento agroextrativista é o selo verde internacional, uma garantia de que ela é manejada sustentavelmente", afirma o gerente.

O crédito também está ajudando a Cooperativa Central de Comercialização Extrativista do Acre (Cooperacre) a garantir a venda de toda a produção de seus cooperados a preços mais justos. Localizada na Vila Acre, em Rio Branco, a cooperativa trabalha principalmente com a comercialização de castanha, borracha, copaíba e outros produtos florestais não-madeireiros. Até 2008, sua capacidade de aquisição de castanha era de 100 mil latas e hoje ela chega a 300 mil latas. O preço pago aos cooperados é de R$ 13 a lata e mais R$ 2 para o produtor.

Para o Superintendente do Banco da Amazônia no Acre, Marivaldo Melo, o agricultor familiar do estado vive um momento histórico. "É a primeira vez que essas cooperativas e associações recebem o repasse do Pronaf para expansão de suas atividades na formação de capital de giro. Sem o crédito, não havia garantia de preço nem de compra da produção e o agricultor sofria numa relação injusta com o mercado", analisa. Segundo ele, o crédito foi disponibilizado inicialmente às cadeias produtivas já estruturadas no Acre. "A meta é chegar a R$ 6 milhões em recursos liberados em 2009, com as cooperativas e associações mais organizadas".

Pronaf

O Pronaf Agroindústria é uma linha de crédito rural que visa atender produtores familiares, cooperativas e associações que desejem beneficiar ou industrializar a produção. Os interessados em acessar essa linha de crédito devem estar enquadrados nos grupos C, D ou E do Pronaf. Os recursos são provenientes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e o agente financeiro das transações no Acre é o Banco da Amazônia (Basa).

Fonte: MDA

Mais Sobre Política - Nacional

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) cobrou do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) a votação, antes que encerre o prazo, da Medida Provisórias cri

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Por unanimidade e em ambiente virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão, tomada

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Neste ano e meio que ele está preso, não tive condições de viajar a Curitiba e fiquei esperando o amigo sair da prisão para poder falar com ele, certo

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p