Porto Velho (RO) sexta-feira, 22 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Privatizações marcaram o quinto bloco do debate


Agência O GloboRIO - O tema das privatizações do governo Fernando Henrique e o chamado "risco Alckmin" foram os mais discutidos no quinto bloco, que encerrou o debate entre os candidatos a presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB) na noite deste domingo, na TV Bandeirantes. Alckmin cobrou de Lula onde, no governo dele, estava escrito que ele privatizaria estatais como a Petrobras, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. Já Lula, cobrou as propostas do governador para a educação no país, uma vez que o estado de São Paulo não teve bom desempenho no setor e não participou do Prova Brasil.- O dossiê não deu certo e começou a boataria. Eles dizem que vou privatizar. Meu programa está aqui, tem 216 páginas, 32 capítulos, onde está escrito que vou privatizar? - questionou.Lula respondeu:- O governador precisaria ter em conta que não estou respondendo a ele, mas para o povo brasileiro. O candidato não precisa ficar nervoso. Não disse que vai apenas privatizar, apenas que o programa do PFL propõem a privatização. E por que não privatizaria se eles venderam a Vale do Rio Doce e não sei quantas empresas. E quando não tiver mais nada para vender? Vai vender a Amazônia? - ironizou.Em seguida, o presidente cobrou o desempenho ruim do estado de São Paulo no Enem e a ausência do estado na Prova Brasil. - São Paulo foi o oitavo colocado no Enem e não aceitou participar da Prova Brasil. Afinal qual é a sua proposta para a educação?Em resposta, Alckmin se defendeu e cobrou a não aprovação do Fundeb no Congresso:- O Enem não é prova para avaliar sistema, não é obrigatório. É para passar no vestibular. São Paulo tem uma escola pública de qualidade com 500 escolas com ensino integral. O governo Lula não fez nada. Levou três anos para o projeto de lei do Fundeb ir ao Congresso e ele não foi aprovado. Ele tem maioria para absolver o mensaleiro e não tem para o Fundeb? Ele quer discutir o ensino do estado quando não fez a sua parte.No final, os dois candidatos fizeram a despedida. Lula agradeceu ao povo brasileiro e prometeu fazer mais pelo Brasil.- O alicerce está pronto, a parede levantada, falta o madeiramento do telhado e isso acontece com grandes projetos que temos como o pólo petroquímico de Itaboraí, pólo siderúrgico do Rio, pólo de Fortaleza, Transnordestina, refinaria de Pernambuco, biodiesel, Hbio, que com 20 meses arrumou emprego para 205 mil famílias.Lula lembrou a necessidade de se criar mais empregos:- O emprego é que dá dignidade ao ser humano. Investimos em universidade, escolas técnicas. Queremos em cada cidade um pólo nesse país, criando uma extensão universitária e uma escola técnica.Em sua fala final do debate, Alckmin, disse que seu primeiro compromisso no governo é com o desenvolvimento. Ele voltou a dizer que o Brasil está perdendo a oportunidade, crescendo menos do que os outros países emergentes e lembrou que ano passado o país cresceu 2,3%, enquanto a Argentina teve expansão de 9%. Segundo ele, o governo está com a receita errada, aumentando gasto quando deveria cortar impostos.- O PT já teve sua chance e não fez. Meu primeiro compromisso são emprego e renda. Esse é o caminho para diminuir a desigualdade e acabar com a pobreza.Alckmin disse ainda que seu segundo compromisso será com a educação e voltou a ressaltar a questão da saúde.- A saúde retrocedeu, piorou. Veja o caso dos hospitais. Vou começar pelos hospitais do Rio. Sou médico, passei minha vida amenizando o sofrimento das pessoas. Gosto de gente, por isso vim para política.

Mais Sobre Política - Nacional

Câmara dos Deputados: CCJC aprova projeto de política nacional de prevenção ao suicídio

Câmara dos Deputados: CCJC aprova projeto de política nacional de prevenção ao suicídio

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO), informou que Câmara dos Deputados, por meio da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC)

Vídeo: Mariana Carvalho comemora a aprovação do seu projeto em que o agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

Vídeo: Mariana Carvalho comemora a aprovação do seu projeto em que o agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

Projeto da deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO) e do deputado Rafael Motta (PSB-RN) é aprovado no Senado Federal. O projeto determina que o agressor

APROVADO – Agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

APROVADO – Agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

O Plenário do Senado aprovou, nesta terça-feira (19), projeto que determina que o agressor nos casos de violência doméstica e familiar será obrigado a

Câmara dos Deputados aprova prioridade de matrícula para filhos de mulher vítima de violência

Câmara dos Deputados aprova prioridade de matrícula para filhos de mulher vítima de violência

Proposta permite ao juiz determinar a matrícula ou transferência de dependentes da mulher vítima de violência independentemente da existência de vagaO