Porto Velho (RO) domingo, 24 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Privatizações marcaram o quinto bloco do debate


Agência O GloboRIO - O tema das privatizações do governo Fernando Henrique e o chamado "risco Alckmin" foram os mais discutidos no quinto bloco, que encerrou o debate entre os candidatos a presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB) na noite deste domingo, na TV Bandeirantes. Alckmin cobrou de Lula onde, no governo dele, estava escrito que ele privatizaria estatais como a Petrobras, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. Já Lula, cobrou as propostas do governador para a educação no país, uma vez que o estado de São Paulo não teve bom desempenho no setor e não participou do Prova Brasil.- O dossiê não deu certo e começou a boataria. Eles dizem que vou privatizar. Meu programa está aqui, tem 216 páginas, 32 capítulos, onde está escrito que vou privatizar? - questionou.Lula respondeu:- O governador precisaria ter em conta que não estou respondendo a ele, mas para o povo brasileiro. O candidato não precisa ficar nervoso. Não disse que vai apenas privatizar, apenas que o programa do PFL propõem a privatização. E por que não privatizaria se eles venderam a Vale do Rio Doce e não sei quantas empresas. E quando não tiver mais nada para vender? Vai vender a Amazônia? - ironizou.Em seguida, o presidente cobrou o desempenho ruim do estado de São Paulo no Enem e a ausência do estado na Prova Brasil. - São Paulo foi o oitavo colocado no Enem e não aceitou participar da Prova Brasil. Afinal qual é a sua proposta para a educação?Em resposta, Alckmin se defendeu e cobrou a não aprovação do Fundeb no Congresso:- O Enem não é prova para avaliar sistema, não é obrigatório. É para passar no vestibular. São Paulo tem uma escola pública de qualidade com 500 escolas com ensino integral. O governo Lula não fez nada. Levou três anos para o projeto de lei do Fundeb ir ao Congresso e ele não foi aprovado. Ele tem maioria para absolver o mensaleiro e não tem para o Fundeb? Ele quer discutir o ensino do estado quando não fez a sua parte.No final, os dois candidatos fizeram a despedida. Lula agradeceu ao povo brasileiro e prometeu fazer mais pelo Brasil.- O alicerce está pronto, a parede levantada, falta o madeiramento do telhado e isso acontece com grandes projetos que temos como o pólo petroquímico de Itaboraí, pólo siderúrgico do Rio, pólo de Fortaleza, Transnordestina, refinaria de Pernambuco, biodiesel, Hbio, que com 20 meses arrumou emprego para 205 mil famílias.Lula lembrou a necessidade de se criar mais empregos:- O emprego é que dá dignidade ao ser humano. Investimos em universidade, escolas técnicas. Queremos em cada cidade um pólo nesse país, criando uma extensão universitária e uma escola técnica.Em sua fala final do debate, Alckmin, disse que seu primeiro compromisso no governo é com o desenvolvimento. Ele voltou a dizer que o Brasil está perdendo a oportunidade, crescendo menos do que os outros países emergentes e lembrou que ano passado o país cresceu 2,3%, enquanto a Argentina teve expansão de 9%. Segundo ele, o governo está com a receita errada, aumentando gasto quando deveria cortar impostos.- O PT já teve sua chance e não fez. Meu primeiro compromisso são emprego e renda. Esse é o caminho para diminuir a desigualdade e acabar com a pobreza.Alckmin disse ainda que seu segundo compromisso será com a educação e voltou a ressaltar a questão da saúde.- A saúde retrocedeu, piorou. Veja o caso dos hospitais. Vou começar pelos hospitais do Rio. Sou médico, passei minha vida amenizando o sofrimento das pessoas. Gosto de gente, por isso vim para política.

Mais Sobre Política - Nacional

Ministro de Temer fala em 'guerra letal' nas favelas e avisa que 'criança bonitinha' pode virar alvo

Ministro de Temer fala em 'guerra letal' nas favelas e avisa que 'criança bonitinha' pode virar alvo

"Você vê uma criança bonitinha, de 12 anos de idade, entrando em uma escola pública, não sabe o que ela vai fazer depois da escola. É muito complicado

Fachin precisou de 45 minutos para anular julgamento de Lula

Fachin precisou de 45 minutos para anular julgamento de Lula

O intervalo de tempo entre a publicação da decisão do TRF-4, de Porto Alegre, e do ministro Edson Fachin, do STF, que arquivou na noite desta sexta 22

Marco Aurélio diz que prisão de Lula é ilegal

Marco Aurélio diz que prisão de Lula é ilegal

Um dos ministros mais experientes do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso il

TRF-4 homologa delação premiada de Palocci à PF

TRF-4 homologa delação premiada de Palocci à PF

Desembargador Gebran Neto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, de Porto Alegre, validou nesta sexta-feira a delação premiada do ex-ministro An