Quarta-feira, 22 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Pratini elogia controle da aftosa e critica protecionismo


Agência O Globo RIO - A confirmação do Ministério da Agricultura, na semana passada, de reação positiva ao vírus da febre aftosa em 41 bovinos de 36 propriedades no interior de São Paulo não preocupou o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), Marcus Vinicius Pratini de Moraes (foto). Além de ressaltar que não se trata de um novo surto e sim de uma possível reação à vacinação - "e, portanto, um episódio normal" -, Pratini de Moraes faz questão de elogiar o governo pelo programa "ambicioso de muito bons resultados de erradicação da febre aftosa" implantado no país. - Num país de dimensões continentais, como o Brasil, com uma imensa floresta amazônica, o controle sanitário é um desafio permanente. E os casos mais recentes que tivemos de aftosa foram em outubro de 2005, no Mato Grosso do Sul. Ainda sssim em ambos, tivemos ações de defesa sanitária rápidas e eficientes - observa. Para o presidente da Abiec, a questão de sanidade animal deve ser sempre uma prioridade e um motivo de preocupação dos governos federal e dos estados, mesmo porque o volume de recursos destinados à defesa sanitária tem se mostrado insuficiente e os países concorrentes do Brasil estão utilizando todas as armas possíveis para conquistar mercado. - A sanidade animal é o nome novo do protecionismo. Quando os países querem bloquerar as importações, usam abusivamente o conceito da sanidade animal para fazer embargos e é isso que tem nos criado dificuldades, por exemplo, na Europa, na Rússia e, mais recentemente, no Chile - assinala. - As exportações brasileiras têm despertado inveja dos nossos concorrentes. Nós estamos exportando grandes volumes de carne nos últimos quatro ou cinco anos e isso suscita muita inveja de outros exportadores, que não imaginavam que a pecuária brasileira tivesse toda essa essa pujança - diz. Pratini de Moraes lembra que, no caso do Chile, o embargo se estendeu a todo o território brasileiro, sem nenhuma motivação técnica. Depois, os chilenos recuaram e abriram uma exceção, apenas, para a carne do Rio Grande do Sul, disse Pratini.

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 22 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Quarta-feira, 22 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)