Porto Velho (RO) quarta-feira, 18 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

PMDB entregará nomes a Dilma na próxima semana


 
Marcos Chagas

Agência Brasil,
Brasília - O PMDB quer entregar até a próxima semana à presidenta eleita, Dilma Rousseff, as indicações que a legenda considera ter direito na composição da equipe ministerial. O vice-presidente eleito e interlocutor do partido na equipe de transição, Michel Temer (PMDB-SP), disse hoje (1º) que o partido considera como da cota pessoal de Dilma as indicações de Sérgio Côrtes para o Ministério da Saúde e a manutenção de Nelson Jobim, na Defesa.

Temer acrescentou que o PMDB teria direito a indicar mais quatro ou cinco vagas, neste último caso, se for considerado que lhe cabe indicação por cota pessoal. Pelas contas, as bancadas na Câmara e no Senado teriam direito a duas indicações cada e ele a uma. “Estamos ajustando esses ponteiro e vamos ajustá-lo, tenho absoluta convicção”, destacou.

O parlamentar minimizou as notícias veiculadas hoje de que as bancadas na Câmara e no Senado estariam se sentido preteridas nas discussões. “O que há é aquele desconforto muitas vezes daqueles que querem um pouco mais, um poucos menos, nada que nos preocupe. Estamos trabalhando, estamos conversando, e o PMDB terá um espaço compatível com seu tamanho, isso a presidenta [Dilma Rousseff] já disse. Então, não há dificuldade nenhuma na relação”, afirmou o vice-presidente eleito.

Sobre a indicação do secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Sérgio Côrtes, para o Ministério da Saúde – que pelas informações publicadas na imprensa seria negociação do governador Sérgio Cabral (PMDB) – Temer disse que conversou com o governador pela manhã. Segundo ele, Cabral afirmou que não procurou ninguém porque, “na verdade isso foi uma cota pessoal”.

Ainda segundo o relato de Michel Temer, o governador disse que Dilma o procurou porque queria um técnico para a pasta e que “apreciava o trabalho de Sérgio Côrtes e que entrava na cota pessoal dela”.

Temer ressaltou que por ser vice-presidente eleito, além de interlocutor do partido na transição, tem que colaborar com o governo.

Sobre as insatisfações colocadas a público pelo peemedebista Moreira Franco (RJ), Michel Temer disse que ele também lhe telefonou para dizer que “não se pode correr o risco de esvaziar quem é o interlocutor do PMDB que foi nomeado por todos”. O vice-presidente eleito acrescentou que, em conversa com os senadores José Sarney (PMDB-AP) e Renan Calheiros (PMDB-AL), esse ponto foi reforçado e que seu papel “não está minimamente esvaziado”.

Mais Sobre Política - Nacional

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Implacável para condenar lideranças do PT na República de Curitiba, a Justiça brasileira não mostra o mesmo furor para investigar e julgar os tucanões

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o anúncio da liberação de saques das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviç