Porto Velho (RO) domingo, 23 de fevereiro de 2020
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

PF deve ouvir Berzoini


Alan Gripp - Agência O Globo CUIABÁ - A Polícia Federal confirmou que vai tomar o depoimento de Expedito Afonso Veloso, Oswaldo Bargas e Jorge Lorenzetti no inquérito que apura a tentativa de compra de um dossiê contra o tucano José Serra. Lorenzetti está sendo esperado para depor ainda nesta quarta-feira em Cuiabá. O delegado Diógenes Curado Filho, responsável pelo inquérito, disse que pode ir a Brasília para tomar os outros depoimentos e que, após ouvir os três, possivelmente vai tomar o depoimento do presidente do PT, Ricardo Berzoini. Expedito é diretor de gestão de risco do Banco do Brasil e se licenciou do cargo para trabalhar na campanha de reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Oswaldo Bargas foi assessor de Berzoini no Ministério do Trabalho e era responsável pelo capítulo sobre trabalho e emprego do programa de reeleição de Lula. Jorge Lorenzetti era, até ontem, chefe do núcleo de informações e inteligência do PT. Os empresários Darci e Luiz Antônio Vedoin vão prestar depoimnento na tarde desta quarta-feira à PF, que quer saber com quem do PT eles negociaram o dossiê.

Mais Sobre Política - Nacional

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Rede Brasil Atual - Deputados da oposição anunciaram hoje (5) que vão apresentar denúncia no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro da Edu

Jair Bolsonaro envia projeto que regulamenta exploração de terras indígenas

Jair Bolsonaro envia projeto que regulamenta exploração de terras indígenas

O presidente Jair Bolsonaro apresentou nesta quarta-feira (5) um projeto de lei (PL) para regulamentar a exploração de atividades econômicas em terras

Carta aberta ao Congresso Nacional pelas aprovações da PEC nº 108 de 2019ª

Carta aberta ao Congresso Nacional pelas aprovações da PEC nº 108 de 2019ª

Nos últimos anos voltou à tona a discussão sobre o excesso de regulamentação profissional no Brasil, numa   verdadeira afronta ao disposto no art. 5º,