Porto Velho (RO) terça-feira, 21 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Pastoral da Terra critica 'infelizes declarações ' de Lula


Agência O GloboSÃO PAULO - A Comissão Pastoral da Terra (CPT) criticou nesta sexta-feira "as infelizes declarações" do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao citar os "entraves para o desenvolvimento" que o Brasil enfrenta. "Com a fala do presidente, sentiram-se apoiados e contemplados os grileiros de terra, os madeireiros e os latifundiários travestidos de empresários do agronegócio que depredam as nossas riquezas naturais, invadem reservas indígenas, de quilombos e áreas de preservação ambiental e exploram os trabalhadores deste país submetendo-os, muitas vezes, a condições análogas a de escravo. Sua ação sim é que traz 'desenvolvimento' para este país, na concepção do presidente", criticou a CPT, em manifesto assinado pelo seu presiente, dom Xavier Gilles de Maupeou d'Ableiges, bispo de Viana (MA)Entre os "entraves" citados por Lula estão o meio-ambiente, os quilombolas, os índios brasileiros e o Ministério Público.Veja a íntegra do manifesto da CPT: "A Comissão Pastoral da Terra só agora, mais de uma semana depois, vem a público manifestar-se sobre as infelizes declarações do presidente Lula quando, em plena Amazônia, elencou "os entraves para o desenvolvimento" que o Brasil enfrenta. E entre os "entraves" citados estão o meio-ambiente, os quilombolas, os índios brasileiros e o ministério público."Não imaginávamos que o presidente Lula, que fez questão de colocar um negro e um índio entre os apresentadores de sua campanha eleitoral, no horário gratuito de Rádio e Televisão, pudesse considerar que indígenas, quilombolas e as questões ligadas ao meio-ambiente fossem entraves para o desenvolvimento. Por isso acreditávamos que esta fala teria sido um deslize e estávamos aguardando uma explicação. Como até hoje o presidente não se manifestou, julgamos que este é realmente o seu pensamento. As elites brasileiras desde sempre consideraram os povos indígenas como entraves para o progresso. Ultimamente, depois da Constituição de 1988, com o início do reconhecimento de suas áreas, também os quilombolas passaram a ser vistos por esta mesma ótica. A nossa biodiversidade que é a fonte da riqueza do futuro deste país e que é defendida valentemente por ambientalistas de diversos matizes também é considerada entrave para o progresso. Com a fala do presidente, sentiram-se apoiados e contemplados os grileiros de terra, os madeireiros e os latifundiários travestidos de empresários do agronegócio que depredam as nossas riquezas naturais, invadem reservas indígenas, de quilombos e áreas de preservação ambiental e exploram os trabalhadores deste país submetendo-os, muitas vezes, a condições análogas a de escravo. Sua ação sim é que traz "desenvolvimento" para este país, na concepção do presidente."O presidente pode muito facilmente eliminar os entraves jurídicos para realizar as obras que deseja. É só reconhecer e fazer demarcar todas as áreas indígenas e dos quilombolas Com isso só estará cumprindo o que determina a Constituição Federal nos artigos 67 e 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Quanto ao meio-ambiente cabe-lhe cumprir o que a mesma Constituição estabelece no artigo 225. "A Comissão Pastoral da Terra, que desenvolve sua missão junto aos camponeses de todo este Brasil e às comunidades tradicionais, apoiando suas ações de resistência e suas reivindicações pela preservação dos seus direitos usurpados, continuará nesta luta. Com os bispos e pastores, no seu pronunciamento Os pobres possuirão a terra "Não reconhecemos a opção pelo agronegócio como saída para o campo brasileiro". Conclamamos também a sociedade brasileira a se envolver com a Campanha da Fraternidade do próximo ano que tem como tema a Amazônia. É um convite para conhecer a riqueza da vida e da cultura das comunidades tradicionais de índios, quilombolas, ribeirinhos e tantas outras que convivem há séculos com a natureza e a preservam e podem nos dar lições de sabedoria e vida."Goiânia, 01 de dezembro de 2006Dom Xavier Gilles de Maupeou d'Ableiges, presidente da Comissão Pastoral da Terra"

Mais Sobre Política - Nacional

Marco Aurélio libera para votação denúncia de racismo contra Bolsonaro

Marco Aurélio libera para votação denúncia de racismo contra Bolsonaro

Ministro Marco Aurélio Mello, do STF, liberou para a inclusão na pauta da 1ª Turma da corte o julgamento contra o candidato da extrema-direita a presi

Morre Otavio Frias Filho, diretor de redação do jornal Folha de S. Paulo

Morre Otavio Frias Filho, diretor de redação do jornal Folha de S. Paulo

O diretor de redação do jornal Folha de S. Paulo, Otavio Frias Filho, morreu nesta terça-feira no Hospital Sírio-Libanês em São Paulo, vítima de um câ

Do Pato Donald ao caos financeiro, Abril fecha revistas, demite 800 e entra em decadência

Do Pato Donald ao caos financeiro, Abril fecha revistas, demite 800 e entra em decadência

BLOG NOCAUTECom informações do Poder 360A Editora Abril, que já foi a maior do Brasil, acumulou dívidas de cerca de R$ 1,6 bilhão. Só na semana passad

Engenharia do caos: 27 milhões sem trabalho

Engenharia do caos: 27 milhões sem trabalho

O jornalista e escritor Palmério Dória denuncia em seu Twitter o cinismo escancarado do Grupo Globo em omitir o que ele chama de 'engenharia do caos';