Sábado, 25 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Pastoral da Terra critica 'infelizes declarações ' de Lula


Agência O Globo SÃO PAULO - A Comissão Pastoral da Terra (CPT) criticou nesta sexta-feira "as infelizes declarações" do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao citar os "entraves para o desenvolvimento" que o Brasil enfrenta. "Com a fala do presidente, sentiram-se apoiados e contemplados os grileiros de terra, os madeireiros e os latifundiários travestidos de empresários do agronegócio que depredam as nossas riquezas naturais, invadem reservas indígenas, de quilombos e áreas de preservação ambiental e exploram os trabalhadores deste país submetendo-os, muitas vezes, a condições análogas a de escravo. Sua ação sim é que traz 'desenvolvimento' para este país, na concepção do presidente", criticou a CPT, em manifesto assinado pelo seu presiente, dom Xavier Gilles de Maupeou d'Ableiges, bispo de Viana (MA) Entre os "entraves" citados por Lula estão o meio-ambiente, os quilombolas, os índios brasileiros e o Ministério Público. Veja a íntegra do manifesto da CPT: "A Comissão Pastoral da Terra só agora, mais de uma semana depois, vem a público manifestar-se sobre as infelizes declarações do presidente Lula quando, em plena Amazônia, elencou "os entraves para o desenvolvimento" que o Brasil enfrenta. E entre os "entraves" citados estão o meio-ambiente, os quilombolas, os índios brasileiros e o ministério público. "Não imaginávamos que o presidente Lula, que fez questão de colocar um negro e um índio entre os apresentadores de sua campanha eleitoral, no horário gratuito de Rádio e Televisão, pudesse considerar que indígenas, quilombolas e as questões ligadas ao meio-ambiente fossem entraves para o desenvolvimento. Por isso acreditávamos que esta fala teria sido um deslize e estávamos aguardando uma explicação. Como até hoje o presidente não se manifestou, julgamos que este é realmente o seu pensamento. As elites brasileiras desde sempre consideraram os povos indígenas como entraves para o progresso. Ultimamente, depois da Constituição de 1988, com o início do reconhecimento de suas áreas, também os quilombolas passaram a ser vistos por esta mesma ótica. A nossa biodiversidade que é a fonte da riqueza do futuro deste país e que é defendida valentemente por ambientalistas de diversos matizes também é considerada entrave para o progresso. Com a fala do presidente, sentiram-se apoiados e contemplados os grileiros de terra, os madeireiros e os latifundiários travestidos de empresários do agronegócio que depredam as nossas riquezas naturais, invadem reservas indígenas, de quilombos e áreas de preservação ambiental e exploram os trabalhadores deste país submetendo-os, muitas vezes, a condições análogas a de escravo. Sua ação sim é que traz "desenvolvimento" para este país, na concepção do presidente. "O presidente pode muito facilmente eliminar os entraves jurídicos para realizar as obras que deseja. É só reconhecer e fazer demarcar todas as áreas indígenas e dos quilombolas Com isso só estará cumprindo o que determina a Constituição Federal nos artigos 67 e 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Quanto ao meio-ambiente cabe-lhe cumprir o que a mesma Constituição estabelece no artigo 225. "A Comissão Pastoral da Terra, que desenvolve sua missão junto aos camponeses de todo este Brasil e às comunidades tradicionais, apoiando suas ações de resistência e suas reivindicações pela preservação dos seus direitos usurpados, continuará nesta luta. Com os bispos e pastores, no seu pronunciamento Os pobres possuirão a terra "Não reconhecemos a opção pelo agronegócio como saída para o campo brasileiro". Conclamamos também a sociedade brasileira a se envolver com a Campanha da Fraternidade do próximo ano que tem como tema a Amazônia. É um convite para conhecer a riqueza da vida e da cultura das comunidades tradicionais de índios, quilombolas, ribeirinhos e tantas outras que convivem há séculos com a natureza e a preservam e podem nos dar lições de sabedoria e vida." Goiânia, 01 de dezembro de 2006 Dom Xavier Gilles de Maupeou d'Ableiges, presidente da Comissão Pastoral da Terra"

Gente de OpiniãoSábado, 25 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Sábado, 25 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)