Domingo, 19 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Partidos fazem restrições a números do TSE sobre custo de campanha


Luiza Damé - Agência O Globo BRASÍLIA - Dirigentes partidários fizeram restrições ao custo da campanha eleitoral divulgado ontem pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) porque se baseia no teto apresentado pelos candidatos. Segundo eles, o valor não é real, pois os partidos são obrigados pela Legislação Eleitoral a estabelecer um limite máximo e não mudá-lo durante o processo eleitoral. PMDB, PSDB e PT defenderam o financiamento público das campanhas para evitar gastos excessivos. - É muito dinheiro. Isso mostra que devemos continuar trabalhando pelo financiamento público de campanha - disse o secretário-geral do PSDB, Eduardo Paes. Para o secretário-geral interino do PT, Joaquim Soriano, o problema não é o número, mas a legislação eleitoral. Soriano argumentou que a regra permite o financiamento privado das campanhas e exige que os candidatos estabeleçam um teto de despesas, que necessariamente não será concretizado. - A legislação induz à elevação do teto, porque não pode mudar durante a campanha. Tem um mercado de produtos eleitorais cujo preço chega a inibir - afirmou. A solução, segundo Soriano, é o financiamento público: - A legislação tem de mudar. Essa legislação não garante condições democráticas mínimas para fortalecimento partidário e da democracia. É necessário eleição por lista partidária e que o financiamento partidário seja público. O presidente do PMDB, Michel Temer, disse que o teto previsto pelos partidos não será atingido, especialmente porque os candidatos estão encontrando dificuldades de arrecadação de fundos. Segundo ele, as dificuldades se devem à falta de dinheiro dos doadores e ao medo de pessoas e empresas se verem envolvidas em escândalo, prestando depoimento em uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). - O dinheiro anda curto. Ninguém faz doação - afirmou Temer. - Aritmeticamente, o valor está correto, mas politicamente ninguém gastará o teto - disse. Para Temer, a aprovação do financiamento público das campanhas eleitorais, combinado com a votação em lista partidária, "uniformizaria mais as campanhas", evitando gastos elevados. Segundo o líder do PFL na Câmara, Rodrigo Maia, o teto é genérico e a maioria dos candidatos, especialmente a deputado, não gasta nem 10% do limite previsto pelo partido. - O TSE somou o limite máximo. Os partidos colocam o teto acima da realidade para contemplar os mais diversos candidatos - disse Rodrigo, acrescentando que o valor divulgado pelo TSE "é completamente fora da realidade". Rodrigo, Temer e Soriano discordaram de avaliações de que um gasto inferior ao previsto indica a prática de caixa dois. O tucano, no entanto, entende que "sempre é possível" existir caixa dois. - Depois das mudanças na legislação, com a exigência de três prestações de contas, será mais difícil a prática de caixa dois. A legislação fechou as portas - argumentou Temer.

Gente de OpiniãoDomingo, 19 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Domingo, 19 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)