Porto Velho (RO) quinta-feira, 17 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

OAB afirma que Estado ineficiente gerou escolas do crime


O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto, abriu ontem (14) a primeira reunião de trabalho do Fórum para Superação da Violência e Promoção da Cultura da Paz com duras críticas à ausência e ineficiência do Estado na ressocialização de crianças e adolescentes envolvidos com a criminalidade. “O Estado não cumpre sua função de ressocializar essas pessoas e as joga em estabelecimentos que são verdadeiras escolas do crime”, afirmou. Ele atacou também a proposta de redução da maioridade penal, observando que essa “seria a solução mais cômoda para o Estado, que continuaria não cumprindo sua função de ressocialização a criança e o adolescente infrator, uma vez que poderia jogá-los mais cedo no sistema carcerário”.

Para Cezar Britto, “o Estado tem culpa ao transformar crianças e adolescentes em criminosos, quando permite a proliferação de internatos que são presídios disfarçados, depósitos de crianças e adolescentes excluídos que acabam virando verdadeiras escolas do crime”. Ele salientou que a OAB apóia a idéia de aumentar o tempo de internação do menor envolvido em crimes, “mas desde que o aumento da internação, de três para seis anos, sirva de incentivo à ressocialização, com o Estado cumprindo essa função de forma mais moderna e eficiente, e não punindo aqueles que também são vítimas de sua ausência e ineficiência”.

O presidente nacional da OAB continua nesse momento participando da primeira reunião do Fórum, constituído no dia 14 de fevereiro, logo após o assassinato do menino João Hélio, no Rio de Janeiro. Ele é integrado por várias entidades da socidade civil, como a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e diversas associações de juízes e advogados, além de parlamentares. Os integrantes debatem agora o regimento interno do Fórum.

Também presente à reunião, o secretário-geral da CNBB, dom Odilo Scherer, defendeu a elaboração de propostas que possam contribuir com a sociedade e as instituições do Estado “para alterar o rumo da violência criminosa que toma conta do país e vai se transformando em fato corriqueiro, o que é um grande perigo”. Assim como o presidente da OAB, ele sustentou que “a repressão, tão-somente, não combaterá o vírus da violência instalado na cultura, e seria muito perigoso que a sociedade caminhasse nesse rumo”. 

Fonte: OAB

Mais Sobre Política - Nacional

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que