Porto Velho (RO) terça-feira, 10 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Novo governo começa com Ministério velho


Agência O GloboBRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva toma posse com o Ministério velho, mas, mesmo depois da reforma prometida para o início de fevereiro, o primeiro escalão do governo não sofrerá mudanças fundamentais. Dos mais de 30 ministérios e secretarias nacionais, o presidente deve pôr apenas 12 na mesa de negociação com os partidos aliados que formam o governo de coalizão. E várias dessas pastas devem ficar com os atuais ministros e seus partidos. Novidades poderão ficar restritas a algumas da área econômica, como Agricultura e Desenvolvimento e Comércio Exterior.Assim que voltar de um período de dez dias de férias, em 15 de janeiro, Lula retoma as negociações com os presidentes dos partidos da coalizão. Até lá, a equipe palaciana estará completando um levantamento da atual participação dos aliados no governo. É a partir dessa radiografia que ele decidirá a presença deles no segundo mandato.- O presidente vai avaliar toda a estrutura de governo. Ele pediu um estudo sobre isso - confirmou Tarso Genro, das Relações Institucionais.Lula confidenciou que deseja ganhar tempo para fazer a reforma ministerial. Quer ter a noção exata do tamanho de cada partido e dos votos que vai poder contar no Congresso em cada legenda.- Como está havendo troca partidária de deputados, eu preciso saber o real tamanho de cada partido. Posso escolher hoje um ministro de um partido que em fevereiro pode ficar sem deputado - exagerou Lula em sua explicação.Os 12 ministérios que devem entrar na cota dos aliados são: Saúde, Cidades, Transportes, Integração Nacional, Previdência Social, Minas e Energia, Agricultura, Ciência e Tecnologia, Comunicações, Esportes, Cultura e Turismo. Alguns ministros estão praticamente confirmados: Gilberto Gil (PV), na Cultura; Hélio Costa (PMDB), nas Comunicações, e Walfrido Mares Guia (PTB), no Turismo. Este último pode ir para o PSB.PT continuará a ter a maior cota de ministérios O mapa da reforma já está na cabeça de Lula, mas ele deve esperar a solução de alguns entraves políticos, como a disputa pela presidência da Câmara.- O Lula não deve fazer nada apressado. O primeiro passo foi cuidar do arranjo político no Congresso. Só agora ele vai cuidar do arranjo do governo - disse o governador Jorge Viana (PT-AC), cotado para a pasta das Relações Institucionais.Algumas pastas estão vetadas na negociação política. Lula decidiu manter em sua cota os ministérios palacianos (Casa Civil, Relações Institucionais e Secretaria Geral da Presidência), os da área econômica (Fazenda, Planejamento, Desenvolvimento e Comércio Exterior e Banco Central), além das pastas técnicas como Educação, Justiça, Controladoria Geral da União e Relações Exteriores.A cota petista deve continuar a ser a maior, mas o partido não vai ampliar espaços perdidos no rastro das crises políticas, como a pasta da Saúde. O partido deve ficar com os ministérios do Desenvolvimento Social, Educação, Desenvolvimento Agrário, Trabalho e Meio Ambiente. O PMDB, maior aliado, deverá ficar com Cidades e Saúde ou Integração Nacional.

Mais Sobre Política - Nacional

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) cobrou do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) a votação, antes que encerre o prazo, da Medida Provisórias cri

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Por unanimidade e em ambiente virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão, tomada

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Neste ano e meio que ele está preso, não tive condições de viajar a Curitiba e fiquei esperando o amigo sair da prisão para poder falar com ele, certo

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p