Porto Velho (RO) segunda-feira, 23 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Novas regras para convênios cumprem promessa feita à CPI dos Sanguessugas, diz Hage


Mylena Fiori
Agência Brasil

Brasília - O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, e o ministro-chefe da Controladoria-Geral da União, Jorge Hage, anunciam novas regras para convênios entre União, estados, municípios e ONGs 
Brasília - A mudanças nas regras para convênios da União com estados, municípios e entidades privadas é o cumprimento de anúncio feito pelo governo federal à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Sanguessugas, de acordo com o ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU), Jorge Hage.

"Estamos resgatando essa promissória do governo do presidente Lula anunciada na CPI das Sanguessugas e no Tribunal de Contas, no dia da aprovação das contas do presidente. Nós entendemos que a solução não é suspender os convênios, é enfrentar o problema e regulamentá-los melhor", afirmou, ao anunciar ao lado do ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, as regras previstas no Decreto nº 6.170/07.

Hage disse acreditar que as medidas impedirão fraudes como o esquema de superfaturamento de ambulâncias detectado pela CPI dos Sanguessugas. "Com esse decreto, vai ficar muito difícil surgirem esquemas iguais àquele. É um conjunto de medidas que seguramente vai dificultar muito a fraude e a corrupção no país", avaliou.

O ministro-chefe da CGU não soube precisar o volume de dinheiro público desviado por meio dos convênios, mas revelou que o índice de irregularidades ainda é "muito alto", embora esteja diminuindo. "Na maioria das vezes encontramos conluio na licitação, nota fiscal fria, inexecução parcial do objeto, indícios de pagamento de propina", informou, ao salientar que a CGU já institui sistemática de fiscalização de transferências mediante sorteio.

Segundo ele, a CGU também já está com equipes em campo fiscalizando mais de 300 organizações não-governamentais (ONGs) – entre elas, as 20 maiores recebedoras de recursos nos últimos oito anos e aquelas criadas para receber recursos de emendas parlamentares.

Das novas medidas, o ministro destacou a criação do Portal dos Convênios, que fornecerá dados detalhados, da apresentação à execução dos projetos. "Hoje só temos informações sobre a execução a posteriori, na prestação de contas. Vamos ter isso praticamente on line", afirmou.

Citou ainda a criação de parâmetros para os convênios e, como exemplo "emblemático", lembrou a transferência de recursos para compra de unidades móveis de saúde. "Uma unidade móvel de saúde pode ser uma kombi com uma maca e pode ser um Lear Jet com uma UTI. Nesse campo intermediário, muita dificuldade se teve, porque ao se aprovar projetos de R$ 50 mil, R$ 200 mil ou R$ 1 milhão, não se tinha especificado precisamente o que era aquela unidade móvel, quais os equipamentos que a compunham. Com os parâmetros e preços de referência estipulados, resolvem-se por antecipação diversos problemas", relatou.

A exigência de definição, nos convênios, da forma de acompanhamento pelo gestor, foi considerada "fundamental" pelo ministro, para quem "a responsabilidade imediata pelo controle é do gestor de cada órgão repassador – não é do TCU, não é da CGU, não é do Ministério Público, não é do Planejamento". Ele alertou:."Quem não acompanha não controla. Quem não tiver condição de fazer acompanhamento, não faça convênio".E negou que o decreto seja uma resposta do governo à oposição, que tenta instalar a CPI das ONGs: "É uma resposta à sociedade brasileira, que vem exigindo cada vez mais o aprimoramento dos sistemas de controle do dinheiro público".

Mais Sobre Política - Nacional

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Implacável para condenar lideranças do PT na República de Curitiba, a Justiça brasileira não mostra o mesmo furor para investigar e julgar os tucanões

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o anúncio da liberação de saques das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviç