Porto Velho (RO) terça-feira, 10 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Navalha: prioridade de pagamento à Gautama no governo Garotinho


Agência O GloboRIO - De acordo com reportagem publicada nesta quarta-feira pelo jornal 'O Globo', dois dias antes de o ex-governador Anthony Garotinho deixar o cargo, em abril de 2002, o governo do Estado do Rio efetuou pagamentos em "regime de prioridade" para a empreiteira Gautama, acusada pela Operação Navalha, da Polícia Federal, de liderar esquema de fraude em licitações no país. Os pagamentos, que somam cerca de R$ 4 milhões, eram referentes a um contrato para a construção de casas populares em Duque de Caxias.O governo Garotinho emitiu uma ordem no dia 3 de abril de 2002, em nome da Gautama, no valor de R$ 1,7 milhão. No dia seguinte, foram feitos mais 14 pagamentos com valores variados para a empreiteira, todas com a seguinte determinação: pagamento com prioridade. Garotinho deixou o governo no dia 5 de abril para concorrer às eleições presidenciais daquele ano. Ele foi substituído pela vice-governadora Benedita da Silva (PT), com quem havia brigado nos primeiros anos de governo.O contrato foi assinado em 1998, no governo Marcelo Alencar, mas, pelos dados do Tribunal de Contas do Estado (TCE), recebeu cinco termos aditivos na gestão de Garotinho. As autorizações de pagamento constam no Sistema Integrado de Acompanhamento Financeiro do Estado (Siafem). Os dados do Siafem foram levados pelo deputado estadual Alessandro Molon (PT). Nesta terça-feira, ele apresentou um requerimento ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) pedindo que o órgão investigue os pagamentos feitos à Gautama.O ex-governador Garotinho foi procurado, mas o presidente da Companhia Estadual de Habitação (Cehab) na época em que foram realizados os pagamentos, Aluízio Meyer, foi o designado para explicar o caso. Meyer afirmou que o contrato com a empreiteira era fruto de um convênio com o governo federal. Meyer contou que a Gautama realizou as obras para as quais havia sido contratada, e que os pagamentos estavam dentro dos prazos. Ainda de acordo com Aluízio Meyer, não houve qualquer irregularidade nos repasses de recursos para a empreiteira. Ele ressaltou que o governo Garotinho ainda deixou dívidas com a Gautama ao renunciar ao cargo. Meyer, contudo, não explicou por que os ordens de pagamento determinavam "prioridade".

Mais Sobre Política - Nacional

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) cobrou do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) a votação, antes que encerre o prazo, da Medida Provisórias cri

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Por unanimidade e em ambiente virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão, tomada

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Neste ano e meio que ele está preso, não tive condições de viajar a Curitiba e fiquei esperando o amigo sair da prisão para poder falar com ele, certo

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p