Quinta-feira, 23 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Ministros mostram disposição otimista para segundo governo


Isabel Braga e Gerson Camarotti - Agência O Globo BRASÍLIA - O segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva começa com seus ministros manifestando disposição positiva para os próximos quatro anos. Dilma Roussef, da Casa Civil, disse que a expectativa para este segundo governo é "absolutamente otimista". - Ter a oportunidade de fazer o Brasil crescer, se desenvolver e distribuir renda. É uma perspectiva de muita força e muita realização. O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, fez uma previsão positiva para os próximos quatro anos e anunciou planos. - Vai ser muito positivo. O presidente Lula teve o primeiro mandato ampliado e consagrado. As urnas mostraram isso. Tanto na política econômica, quanto nos problemas sociais. Tudo vai ser mantido, mas queremos dar ênfase agora na infra-estrutura e nas ações que promovam crescimento. Vamos tornar mais efetiva nossas ações. Melhorar as reformas na questão do Orçamento e no aporte de recursos para a iniciativa privada. Isso que estão chamando de pacote (econômico) significa mais dinheiro e menos buracracia. O ministro afirmou que o anúncio deve ser feito em meados de janeiro e que o governo enviará as medidas que dependem do Congresso na reabertura das duas Casas, em 1º de fevereiro. De acordo com Bernardo, este governo começa em melhor situação que o primeiro, mas Bernardo desconversou ao ser questionado sobre a meta de crescimento da economia de 5% ao ano. - O Brasil vai crescer. Temos que acreditar e botar para quebrar. Vocês são pessoas jovens, têm que ter fé. O Brasil tem todas as condições de crescer. Estamos indo numa situação muito melhor do que há quatro anos. As medidas para destravar e desobstruir tem todas as condições de funcionar - disse o ministro do Planejamento, assegurando que as parcerias público-privadas para projetos estruturantes começam a funcionar este ano. O ministro disse que o governo quer uma nova relação com o Congresso, mas cobrou responsabilidade da oposição. - A oposição foi eleita para criticar. Mas espero que melhore o padrão das críticas e que aponte alternativas - disse. O ministro do Desenvolvimento Social, Patrus Ananias, também anunciou projetos de seu ministério, afirmando que uma de suas metas será reduzir o número de famílias que tem acesso ao programa Bolsa Família por meio do ganho de renda. - Os pobres não são números. Eles vão sair do Bolsa Família desde que tenham condições. O nosso objetivo é a emancipação dessas famílias - afirmou o ministro. Outro que demonstrou otimismo em relação ao governo que começa foi o ministro das Relações Institucionais, Tarso Genro. Para ele, o cenário atual é favovárel a um melhor mandato, já que há boa situação externa, bons resultados da balança comercial, reservas internacionais altas e taxa de juros em queda. - Acho que o Brasil amadureceu, a democracia amadureceu e o processo eleitoral indicou o caminho que o Brasil vai seguir. Tenho absoluta certeza que esse segundo mandato vai ser muito mais tranqüilo que o primeiro, não somente porque o governo não vai cometer equívocos que por ventura tenha cometido, mas também porque a própria oposição amadureceu. Tarso disse que o Brasil terá um presidente com quatro anos de experiência, com bom prestígio e com grande respeito internacional. O ministro disse, ainda, que Lula vai anunciar medidas econômicas e de investimento de infra-estrutura ainda este mês. Tarso disse que o governo pretende estabelecer um novo relacionamento com o Congresso. - O governo deve ter cometido erros na sua relação com o Congresso no primeiro período (de Lula). Diria erros históricos que não serão mais cometidos - afirmou a jornalistas. Este novo relacionamento, segundo Tarso, se dará em dois níveis. Com a oposição, o governo vai trabalhar para a concertação política, que é um entendimento em torno de projetos. Com a base aliada, o governo já articulou uma coalizão de 10 partidos para aprovar projetos de interesse do país. Tarso ressaltou que mesmo cometendo erros, o presidente não desrespeitou o Congresso e "não desrespeitará''. Confirmando sua permanência na Cultura, o ministro Gilberto Gil declarou que começa "cheio de ânimo''. Em dezembro, Lula convidou Gil a permanecer no ministério e disse que ele era ``unanimidade nacional na área da cultura''. Gil confirmou ter aceito o convite e falou que sua prioridade ''é continuar o trabalho feito no primeiro mandato''. Foto: Fábio Pozzebom/ABr

Gente de OpiniãoQuinta-feira, 23 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Quinta-feira, 23 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)