Porto Velho (RO) quinta-feira, 16 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Ministério Público acusa site Orkut de proteger criminosos


Isis Brum (Agência O Globo) SÃO PAULO - O Google Brasil, empresa subsidiária da norte-americana Google Inc, proprietária do Orkut (site de relacionamento), pode perder a sua representatividade no Brasil. O Ministério Público Federal (MPF) prepara duas ações contra a empresa: uma civil (perda da representatividade e pagamento de indenização por danos morais coletivos) e outra criminal por proteção de criminosos (favorecimento pessoal) e desobediência. O inquérito policial foi instaurado há dois meses.Há cinco meses, o MPF aguarda o fornecimento dos dados de 27 perfis e criadores de comunidades do Orkut. A quebra do sigilo foi autorizada pela Justiça, mas nunca foi cumprida pelo Google Brasil, segundo afirmou o procurador da República no estado de São Paulo, Sérgio Gardenghi Suiama, que moverá as duas ações contra a empresa. O motivo são as denúncias contra usuários que criam perfis e comunidades criminosas que realizam a divulgação pornografia infantil, incitação de ódio e discriminação racial, étnica e de gênero e de crimes contra a vida, com incentivo ao suicídio e ao homicídio, além daqueles que fazem apologias ao estupro, à pedofilia e a rituais satânicos.Um estudo feito pela Organização Não-Governamental (ONG) SaferNet Brasil (Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos) a respeito das denúncias recebidas por crimes cibernéticos de janeiro a agosto deste ano, mostra que 94,6% são contra perfis e comunidades do Orkut.Em sete meses, a central recebeu 86.188 denúncias, das quais 81.549 foram contra o site de relacionamentos do Google. Dessas, 34.161 (42%) eram sobre pornografia infantil e pedofilia. A ONG estima existir mais de 44 mil imagens de crianças de até 5 anos e adolescentes em cenas pornográficas e de sexo explícito no Orkut. Segundo o presidente da SaferNet, Thiago Tavares Nunes de Oliveira, a Google Brasil foi informada sobre o uso criminoso do Orkut e, apesar disso, não tomou providências.A ONG deve encaminhar nesta segunda um relatório extenso sobre as páginas com conteúdos que violam os direitos humanos no Orkut à Procuradoria da República em São Paulo e para a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. O documento servirá de base para fundamentar as duas ações do Ministério Público Federal.- É inadmissível que uma empresa venha para o Brasil ganhar dinheiro e se recuse a prestar esclarecimentos sobre crimes investigados pelas autoridades do país. É preciso tomar providências para que as ordens judiciais sejam cumpridas - diz o procurador da República Sérgio Suiama.Segundo o procurador, o Google Brasil informa apenas que os pedidos de quebra de sigilo devem ser encaminhados à matriz nos Estados Unidos.- Mas são crimes cometidos no Brasil, por brasileiros e contra brasileiros - contesta Suiama, ao explicar que a responsabilização tem de ser feita no Brasil.Os esforços do MPF e da SaferNet são no sentido de punir os responsáveis pela criação de perfis e comunidades criminosas. - Não adianta tirar a página do ar. A todo momento, são criados novos perfis e comunidades. Além disso, é preciso que a empresa guarde a prova do crime (a página) - destaca o presidente da ONG.A Google Brasil poderá responder criminalmente por desobediência e proteção de criminosos. Segundo o MPF, a empresa descumpriu uma determinação judicial (quebra de sigilo de usuários) e, sem tomar providências com relação os usuários, termina por favorecer os criminosos.Na ação civil, além de pedir à Justiça o fechamento do escritório no país, que representa os negócios da matriz na América Latina, a Procuradoria exigirá o pagamento de indenização à sociedade brasileira por danos morais coletivos devido à publicidade de conteúdos ilícitos em seu site. Em situações como essa, o dinheiro é depositado em fundos de direitos humanos para ser revertido em projetos sociais.

Mais Sobre Política - Nacional

Grupo Abril pede recuperação judicial

Grupo Abril pede recuperação judicial

O grupo Abril entrou com um pedido recuperação judicial nesta quarta-feira (15); plano de recuperação judicial será mostrado aos credores em até 60 di

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Está revogada a decisão do Carf que havia livrado o banco de pagamento de multa de R$ 26 bilhões por sonegação de impostos; é a maior da história...

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários protestam contra as resoluções da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da Uni

Trabalhadores de todas as idades já podem sacar cotas do Pis/Pasep

Trabalhadores de todas as idades já podem sacar cotas do Pis/Pasep

Trabalhadores de todas as idades que tiverem direito a cotas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servid