Porto Velho (RO) terça-feira, 26 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Militares constataram que não há sobreviventes, dizem fontes


Regina Alvarez - Agência O GloboBRASÍLIA - Militares da Base Aérea de Cacimbo, no Mato Grosso, informaram extraoficialmente, há pouco, que as equipes de resgate já chegaram ao local do acidente com o vôo 1907 da Gol e não há sobreviventes.Oficialmente, a Aeronáutica não confirma ainda a informação.A área de floresta densa fica entre duas aldeias indígenas no Parque do Xingu, na divisa de Mato Grosso com o estado do Pará.As equipes estão abrindo espaço no local para a chegada de caminhões frigoríficos que devem carregar os corpos para a Base. Pelo menos dois caminhões já teriam sido contratados para esse serviço na cidade de Matupá, no Mato Grosso.

Mais Sobre Política - Nacional

AROEIRA: RELAÇÃO ENTRE JAIR BOLSONARO E RODRIGO MAIA É DE AMOR E ÓDIO

AROEIRA: RELAÇÃO ENTRE JAIR BOLSONARO E RODRIGO MAIA É DE AMOR E ÓDIO

O chargista Aroeira, do Jornalistas pela Democracia, divulgou nesta segunda-feira (25) nova charge em que retrata a crise política protagonizada pelo

Presidente Jair Bolsonaro autoriza celebração do 31 de março de 1964

Presidente Jair Bolsonaro autoriza celebração do 31 de março de 1964

O presidente Jair Bolsonaro aprovou a mensagem que será lida em quarteis e guarnições militares no próximo dia 31 de março, em alusão à mesma data no

Câmara dos Deputados: CCJC aprova projeto de política nacional de prevenção ao suicídio

Câmara dos Deputados: CCJC aprova projeto de política nacional de prevenção ao suicídio

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO), informou que Câmara dos Deputados, por meio da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC)

Vídeo: Mariana Carvalho comemora a aprovação do seu projeto em que o agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

Vídeo: Mariana Carvalho comemora a aprovação do seu projeto em que o agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

Projeto da deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO) e do deputado Rafael Motta (PSB-RN) é aprovado no Senado Federal. O projeto determina que o agressor