Porto Velho (RO) domingo, 24 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Microempresas vão propor a Lula reforma sindical e fim da contribuição obrigatória


Agência O GloboBRASÍLIA - O presidente do Sindicado da Micro e Pequena Indústria do Estado de São Paulo (Simpi), Joseph Couri, anunciou nesta segunda-feira que vai propor ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que seja enviado, em caráter de urgência ao Congresso, projeto de lei com uma profunda reforma sindical, que estimule a representatividade das instituições e o contrato coletivo de trabalho para o fim da contribuição sindical obrigatória. Ele vai sugerir a Lula que proponha essa reforma ao Congresso tão logo inicie seu novo mandato, em janeiro.- Queremos uma reforma que acabe com os sindicatos de gaveta, que não representam nada nem a ninguém, servindo apenas de massa de manobra para interesses espúrios - afirmou Couri.Constituído em 1989, logo após a promulgação da Constituição, o Simpi representa hoje cerca de 200 mil micro e pequenas indústrias paulistas, com menos de cinqüenta empregados cada, e recebeu o registro sindical do Ministério do Trabalho em janeiro do ano passado.Para Couri, a reeleição de Lula propiciará ao país um sindicalismo novo e autêntico, "afastando-se do modelo fascista da Carta del Lavoro no qual se baseiam até hoje muitos sindicatos brasileiros". Ele sustenta que a entidade é exemplo de que os sindicatos podem sobrevier sem contribuições obrigatórias, o que ocorre desde sua fundação. Para ele, a contribuição sindical leva à acomodação e à falta de representatividade efetiva, como ocorre com diversos sindicatos patronais de indústria no país. Eliminada essa contribuição, todo o movimento sindical deverá rever suas estratégias de representatividade, na sua opinião.Couri avalia que o primeiro governo do presidente Lula criou as bases para que o Brasil volte a crescer de forma sustentada nos próximos anos, tendo se empenhado, no aspecto macroeconômico, pela estabilidade, a geração de superávit comercial e a redução da taxa de juros. No novo mandato, a seu ver, os próximos passos devem ser na direção das diversas reformas, como a sindical, a tributária e também uma reforma na área política.

Mais Sobre Política - Nacional

Ministro de Temer fala em 'guerra letal' nas favelas e avisa que 'criança bonitinha' pode virar alvo

Ministro de Temer fala em 'guerra letal' nas favelas e avisa que 'criança bonitinha' pode virar alvo

"Você vê uma criança bonitinha, de 12 anos de idade, entrando em uma escola pública, não sabe o que ela vai fazer depois da escola. É muito complicado

Fachin precisou de 45 minutos para anular julgamento de Lula

Fachin precisou de 45 minutos para anular julgamento de Lula

O intervalo de tempo entre a publicação da decisão do TRF-4, de Porto Alegre, e do ministro Edson Fachin, do STF, que arquivou na noite desta sexta 22

Marco Aurélio diz que prisão de Lula é ilegal

Marco Aurélio diz que prisão de Lula é ilegal

Um dos ministros mais experientes do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso il

TRF-4 homologa delação premiada de Palocci à PF

TRF-4 homologa delação premiada de Palocci à PF

Desembargador Gebran Neto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, de Porto Alegre, validou nesta sexta-feira a delação premiada do ex-ministro An