Porto Velho (RO) sábado, 14 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

MANGABEIRA UNGER: Estratégias diferentes na Amazônia


Alex Rodrigues
Agência Brasil

Belém - O ministro Mangabeira Unger, do Núcleo de Assuntos Estratégicos (NAE), destacou seis temas que considera importantes para a promoção do desenvolvimento econômico na Amazônia, durante reunião hoje (15) com a governadora do Pará, Ana Júlia Carepa.

Acompanhado por um comitiva interministerial, Mangabeira Unger pretende discutir o projeto com os governadores e representantes do setor produtivo do Pará e do Amazonas. Em entrevista coletiva, ele explicou que "o projeto tem como eixo um zoneamento econômico e ecológico fundado na solução das questões da posse da terra, permitindo a definição de estratégias econômicas distintas para as diferentes partes da Amazônia”.

O ministro e a governadora se comprometeram a indicar os nomes que integrarão grupos de estudo para debater os temas listados. O primeiro deles, que segundo o ministro não é exclusividade do Pará, mas de todo o país, é a pecuária extensiva. “Este talvez seja o maior problema da agricultura brasileira: como podemos começar a substituir a pecuária extensiva por outra intensiva e que esteja integrada a um modelo de lavoura familiar avançado”, disse.

O segundo diz respeito à atividade mineradora no estado do Pará: “Só uma pequena parcela [das jazidas] é objeto de lavra. É preciso definir como aproveitar essa riqueza dormente, usando o poder do Estado para aprofundar o mercado e a concorrência.”

O texto apresentado pelo ministro durante a reunião também cita a necessidade de formação de recursos humanos em todos os níveis, voltada especialmente para a realidade local, sem contudo deixar de ter uma visão ampla das necessidades mundiais.

Mangabeira Unger também pretende estimular a discussão sobre a criação, no Pará, de um centro de prestação de serviços ambientais avançados cujas ações beneficiem toda a região amazônica. Além disso, ele defende que as políticas públicas solucionem os problemas das populações mais vulneráveis, combatendo situações como o tráfico de pessoas.

A questão hídrica e, conseqüentemente, energética, seria o sexto tema de maior importância, segundo o ministro.

Especificamente sobre a questão indígena, ele defendeu uma reavaliação no papel do Estado: “Ao mesmo tempo que asseguramos generosamente essas terras ao indígenas, nós ainda não construímos os instrumentos e as oportunidades de atividades econômicas para esses povos.”

Mangabeira Unger disse ainda estar determinado a avançar na formulação de um modelo de desenvolvimento que privilegie os pequenos proprietários, tanto nas cidades quanto no campo. “Esta é a classe média emergente, a vanguarda dos batalhadores que está transformando o país – uma nova classe média que, de alguma forma, já está no comando do imaginário popular. Uma das grandes tarefas de construção nacional é edificar as instituições e políticas que dariam asas a esta gente”, afirmou.

Mais Sobre Política - Nacional

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) cobrou do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) a votação, antes que encerre o prazo, da Medida Provisórias cri

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Por unanimidade e em ambiente virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão, tomada

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Neste ano e meio que ele está preso, não tive condições de viajar a Curitiba e fiquei esperando o amigo sair da prisão para poder falar com ele, certo

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p