Terça-feira, 16 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Mandado de segurança diz que aumento de parlamentares tem que passar pelo plenário


Carolina Brígido - Agência O Globo BRASÍLIA - O mandado de segurança com pedido de liminar, protocolado pelos deputados Carlos Sampaio (PSDB-SP), Fernando Gabeira (PV-RJ) e Raul Jungmann (PPS-PE) no Supremo Tribunal Federal (STF) contra os membros das Mesas Diretoras da Câmara e do Senado, alega que a proposta de aumento salarial para deputados e senadores deveria ter sido discutida e deliberada pelos parlamentares, e não pelas Mesas. "Somente a lei pode fixar o subsídio dos parlamentares em nosso país", diz a ação movida pelos deputados. O documento também leva em consideração a repercussão negativa do aumento na mídia: "A dissonância do fato ora contestado com os anseios da sociedade é inquestionável. Essa dissonância, aliás, evidencia a irrazoabilidade e desproporcionalidade do ato ora guerreado." A ação será relatada pelo ministro Ricardo Lewandowski, ou por Gilmar Mendes, vice-presidente do STF, se a decisão não for proferida até esta terça-feira, último dia de funcionamento do STF antes do recesso de fim de ano. O PPS também protocolou um ação direta de inconstitucionalidade (Adin) contra o aumento. Como o ato conjunto das Mesas ainda não havia sido publicado, os partidos questionaram judicialmente o Decreto Legislativo 444, de 2002, que disciplina as formas de concessão de aumentos do subsídio dos parlamentares e serviu de argumento para a elevação dos salários. Segundo a defesa do PPS, que propôs a Adin com pedido de medida cautelar (uma espécie de decisão urgente), a norma é inconstitucional, pois permite a equiparação entre os salários de parlamentares e ministros do STF. De acordo com o artigo 37, "é vedada a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público". Os advogados ressaltaram que isonomia e paridade salarial são diferentes de equiparação ou vinculação dos valores. Outro problema do decreto seria o fato de não considerar dotações orçamentárias para a concessão de elevação do subsídio, conforme determina a Constituição. A ação do PPS será julgada pelo ministro Carlos Ayres Britto. Caso ele não decida sobre o assunto até esta terça, também caberá a Gilmar Mendes decidir o caso.

Gente de OpiniãoTerça-feira, 16 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Terça-feira, 16 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)