Porto Velho (RO) quinta-feira, 15 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Lula segura o PT e abre caminho para reeleição de Aldo Rebelo


Ilimar Franco e Isabel Braga - Agência O GloboBRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva jogou uma ducha de água fria nas pretensões do PT de disputar a presidência da Câmara para o biênio 2007/2008. Em reunião de cerca de três horas com os integrantes da Executiva do partido, na quinta-feira, o presidente não quis se alongar sobre o tema, dizendo que tratará dele no futuro com o líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), cotado para o cargo, e com a bancada petista, mas deixou claro: trabalha, inclusive junto ao PMDB, para a reeleição do atual presidente, o deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP).Mesmo sendo integrante de um partido que não alcançou a cláusula de desempenho, o comunista Aldo Rebelo está se beneficiando de um conjunto de fatores que favorecem sua candidatura. Como o PMDB tem as maiores bancadas na Câmara e no Senado, a solução desenhada por Lula é apoiar a reeleição de Renan Calheiros para a presidência do Senado e tê-lo como aliado para manter Aldo na Câmara. Essa operação, no entanto, exige um intrincado jogo político, do qual Lula quer ver o PT longe.- É preciso ter cuidado para não se cometer os erros do passado, quando lançamos dois candidatos - disse o presidente Lula, referindo-se às candidaturas dos petistas Luiz Eduardo Greenhalgh (SP) e Virgílio Guimarães (MG) à presidência da Câmara, que acabaram favorecendo Severino Cavalcanti (PP-PE).Dividido, o PMDB tem dificuldades para criar uma candidatura forte à sucessão de Aldo. O ex-líder do PMDB Geddel Vieira Lima (BA) surgiu como nome natural, depois que apoiou a eleição do petista Jaques Wagner para o governo da Bahia. Ele considera que o PMDB tem direito ao cargo, mas já avisou que não entrará em nenhuma disputa.Por outro lado, os governistas mais antigos - o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o senador José Sarney (PMDB-AP) -, que querem continuar no comando dos entendimentos com o governo, estimularam o ex-ministro das Comunicações Eunício Oliveira (PMDB-CE) a lançar-se publicamente candidato com o objetivo de frear as pretensões de Geddel.Com o PT contido e o PMDB dividido, as portas vão se abrindo para a reeleição de Aldo Rebelo. Até mesmo setores da oposição preferem o comunista no cargo. O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), duplamente derrotado nas eleições, tem conversado muito com Renan Calheiros e na Câmara, segundo um aliado, está trabalhando para reeleger Aldo Rebelo, com o objetivo de impedir que o cargo seja ocupado por Geddel, seu desafeto da política baiana.Outros líderes do PFL, por razões distintas, também preferem Aldo, sob o argumento de que não lhes interessa fortalecer o PMDB, que ficaria com a presidência das duas Casas. Os tucanos também não querem fazer da eleiçao da presidência da Câmara uma batalha.- Nós não vamos disputar e trabalhamos pelo entendimento - disse o líder do PSDB na Câmara, Jutahy Magalhães Junior (BA).Na reunião de ontem com o PT, o presidente Lula afirmou que o lançamento de uma candidatura petista à presidência da Câmara poderia prejudicar a formação de um governo de coalizão:- É preciso que a gente não dê sinais contraditórios e não se atrapalhe. Temos que ter humildade e aprender com a experiência - afirmou o presidente Lula, de acorco com um integrante da Executiva.

Mais Sobre Política - Nacional

Jair Bolsonaro diz que programa Mais Médicos não será suspenso

Jair Bolsonaro diz que programa Mais Médicos não será suspenso

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse ontem (14) que manterá o programa Mais Médicos e vai substituir os cerca de 8.500 profissionais cubanos p

JUÍZA SUBSTITUTA DE MORO NEGA PEDIDO DE LULA PARA SER INTERROGADO DE NOVO

JUÍZA SUBSTITUTA DE MORO NEGA PEDIDO DE LULA PARA SER INTERROGADO DE NOVO

A juíza federal substituta Gabriela Hardt negou, nesta terça-feira (13), o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que ele

Bolsonaro anuncia o general Fernando Azevedo e Silva para a Defesa

Bolsonaro anuncia o general Fernando Azevedo e Silva para a Defesa

A pasta seria ocupada inicialmente pelo general Augusto Heleno