Quarta-feira, 24 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Lula já aceita nomear Marta Suplicy para o Ministério das Cidades


Agência O Globo BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou a cogitar o nome de Marta Suplicy para o Ministério das Cidades. O posto, hoje ocupado pelo PP, é o principal objetivo tanto do PT como da ex-prefeita, desde que tiveram início as conversas de Lula com os partidos sobre a composição do ministério do segundo mandato. Nesta quinta-feira, o presidente recebe os dirigentes do PCdoB e do PSB, que vai reivindicar a manutenção dos ministérios da Integração Nacional, que iria para o PMDB, e da Ciência e Tecnologia na cota do partido. O encontro formal com o PT está previsto para o início da próxima semana, mas Lula e a cúpula petista vêm se entendendo em sigilo desde a comemoração dos 27 anos do PT, realizado há duas semanas, em Salvador. Nessas conversas, o PT manifestou a Lula o receio de perder espaço em relação ao ministério atual. O presidente, por outro lado, deixou claro que não estava satisfeito com as imposições públicas feitas pelo partido. Desde então, mudou o comportamento do PT. Na última reunião da comissão política do partido o presidente da sigla, Ricardo Berzoini, limitou-se a dizer que o PT apresentaria suas sugestões, mas que a decisão final sobre como e onde aproveitá-las caberia exclusivamente a Lula. Berzoini disse ainda que o PT não reivindicava o espaço de outros partidos. Nas conversas reservadas, o tom é outro. O PT avalia que perdeu ministérios-fim (com verbas para executar obras), não quer perder mais espaço e avaliza o nome de Marta Suplicy para o Ministério das Cidades. Lula, segundo uma ala do PT, não gostaria de chamar Marta para o governo, pois não conviveria bem com a idéia de um ministro forte e potencial candidato à sua sucessão fazendo " sombra " na Esplanada dos Ministérios, o que interlocutores do presidente da República no Palácio do Planalto negam com veemência. Por meio de amigos comuns, Lula fez chegar a Marta que ela seria ministra, no segundo mandato, desde que se dispusesse a ficar quatro anos. Havia a expectativa de que Marta recusasse a condição, por ser eventual candidata à Prefeitura de São Paulo, nas eleições de 2008. Marta, no entanto, concordou com a exigência. Lula, contrariado ou não, ficou sem ter como deixar de convidar a ex-prefeita. Faltava definir a Pasta. De início falou-se em Educação, que já está na cota do PT. Como ex-prefeita da maior cidade do país, Marta sempre pensou no ministério que já foi do PT (com Olívio Dutra) e passou para o PP quando Severino Cavalcanti se elegeu presidente da Câmara. O interesse de Marta pela área é antigo: foi ela quem indicou o presidente da Caixa Econômica Federal (CEF) no início do governo Lula - Jorge Mattoso, que caiu na esteira do escândalo da quebra do sigilo bancário de um caseiro. Recuperar Cidades também é o objetivo do PT. O ministério permite a seu titular uma ampla articulação com os prefeitos de todos os municípios brasileiros. Pode se tornar uma plataforma para um eventual candidato à sucessão de Lula, como, aliás, Marta é vista no PT. Além disso, o ministério deve ganhar mais visibilidade no segundo mandato de Lula, que pretende dar ênfase às regiões metropolitanas na execução dos programas sociais do governo. O problema para Lula, agora, é como desalojar o PP. Semana passada, os dirigentes do partido saíram de uma conversa com Lula convencidos de que Márcio Fortes continuaria no comando. O problema está na diferença entre as duas bancadas eleitas: o PT elegeu 83 deputados, enquanto o PP, pouco mais de 40. Uma das hipóteses é o PP levar a Agricultura, um pouco menor que Cidades, mas também uma Pasta forte. Na hipótese de Lula confirmar Marta em Cidades, o PT deve perder um dos pequenos ministérios que atualmente dispõe para outros partidos da coalizão, como o PDT. Assim, o partido mantém o espaço atual (15 ministérios ou secretarias com o mesmo status), mas passa a administrar um orçamento bem mais robusto. Nesse quadro, o PT manteria também o Ministério da Educação, com Fernando Haddad.

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 24 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Quarta-feira, 24 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)