Quarta-feira, 24 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Lula investirá no crescimento


Regina Alvarez, Gerson Camarotti, Chico de Gois, D - Agência O Globo BRASÍLIA - O governo tem a fórmula, mas ainda não sabe como implementá-la, e o pacote com medidas para a infra-estrutura ainda precisa de ajustes. Mas, seja como for, o segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva começa empenhado no desafio de fazer o país crescer de forma sustentada e duradoura. - Para viabilizar o crescimento sustentado, temos que eliminar os principais gargalos da infra-estrutura. Precisamos contar com um bom sistema de transportes e mais oferta de energia para que a economia não tenha restrição de oferta - resume o secretário-adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, coordenador do programa econômico do presidente Lula. Já está praticamente certo que o governo aumentará os gastos com o Projeto Piloto de Investimentos (PPI) para até 0,5% do PIB, aplicando R$ 11, 3 bilhões do Orçamento em obras de infra-estrutura de transportes, infra-estrutura hídrica e saneamento. Parte dessas despesas será descontada da meta de superávit primário, e os recursos para a área de energia sairão do Orçamento das estatais e de outras fontes. As divergências que precisam ser equacionadas decorrem de visões diferentes dentro do governo e do próprio Ministério da Fazenda sobre a condução da política monetária e fiscal nos próximos quatro anos. Outra questão é a redução dos gastos correntes, para criar espaço para novos investimentos. Fiel ao estilo de ouvir todos os lados e decidir sozinho, Lula formou uma espécie de conselho econômico informal, com a reunião de quatro economistas de sua confiança, mas de correntes econômicas diversas: Mantega, o senador Aloizio Mercadante (PT-SP), o deputado Delfim Netto (PMDB-SP) e Luiz Gonzaga Belluzzo (Unicamp). Foram quatro horas de conversa, que levaram á conclusão de que há espaço para flexibilizar a política monetária, acelerando a queda dos juros; é necessário um esforço maior na redução das despesas de custeio; é preciso criar novos instrumentos de financiamento para estimular a iniciativa privada e é preciso aumentar substancialmente o investimento público. 'Temos agora o compromisso de fazer mais e melhor' Após abrir exposição com imagens da campanha à reeleição, na tarde deste sábado, Lula afirmou que está terminando seu primeiro mandato "numa situação altamente privilegiada", tanto do ponto de vista político quanto econômico e social. Ao fazer o balanço de sua primeira gestão, o presidente reconheceu que ainda tem muito o que fazer pela frente e que, deste ponto de vista, o segundo mandato é um compromisso mais forte e exigente. - Poucos presidentes tiveram a felicidade e alegria de terminar um mandato em uma situação tão boa como nós - avaliou Lula - Temos agora o compromisso de fazer mais e melhor. Obviamente que nós, com quatro anos de experiência, temos de trabalhar muito mais, fazer muito mais. Todo mundo já está calejado, já sabe o que tem de fazer. Lula disse ainda que vai tirar dez dias de férias em janeiro.

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 24 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Quarta-feira, 24 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)