Porto Velho (RO) quarta-feira, 21 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Lula e Alckmin dividem a preferência nas regiões do país


Agência O GloboRIO - Adversários no segundo turno da eleição presidencial, Lula e Geraldo Alckmin dividiram a supremacia nas regiões do país no pleito deste domingo. O presidente teve vitórias confortáveis no Nordeste (com 66% dos votos válidos) e Norte (56%), enquanto o tucano venceu no Sul (54%) e Centro-Oeste (51%). No Sudeste, houve equilíbrio, com ligeira vantagem para Alckmin: 45% contra 43% do petista.Lula levou a melhor em 16 estados (Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins), e Geraldo Alckmin foi vitorioso em 11 (Acre, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e São Paulo)O Amazonas foi o estado em que o presidente Lula teve sua vitória mais expressiva: 78% dos votos válidos. Comprovando a polarização do pleito presidencial, lá foi também onde Geraldo Alckmin teve seu pior desempenho, com 12% dos votos válidos.A situação se inverteu em Roraima, estado em que o tucano teve sua maior margem, em termos proporcionais, com 59%. Lula, por sua vez, conseguiu apenas 26% entre os roraimenses, seu menor índice no país.Em número de votos, o melhor desempenho do presidente Lula foi em São Paulo, onde ele recebeu pouco mais de 8 milhões de votos. Mesmo assim, o candidato petista ficou atrás de Geraldo Alckmin, dono de 11,9 milhões de votos paulistanos, seu maior contingente entre todos os estados.No outro extremo dos números, Roraima foi o estado em que Lula recebeu menos votos: 49 mil. Geraldo Alckmin teve seu pior desempenho no Amapá: 95 mil votos.A votação de Lula e Alckmin em cada estado:Roraima Alckmin 59,56% Lula 26,20% Amazonas Lula 78,03% Alckmin 12,47% Amapá Lula 54,4% Alckmin 32,18% Acre Alckmin 58,62% Lula 42,7% Rondonia Alckmin 47.05% Lula 45,06% Pará Lula 51,74% Alckmin 41,51% Mato Grosso Alckmin 54,57% Lula 38,87% Mato Grosso do Sul Alckmin 56,25% Lula 35,99% Goiás Alckmin 51,50% Lula 40,16% Distrito Federal Alckmin 44,11% Lula 37,06% Tocantins Lula 58,62% Alckmin 37,3% Maranhão Lula 75,49% Alckmin 18,82% Piauí Lula 67,31% Alckmin 28% Ceará Lula 71,2% Alckimn 22,79% Rio Grande do Norte Lula 60,17% Alckmin 31,57% Paraíba Lula 65,31% Alckmin 27,87% Pernambuco Lula 70,95% Alckimin 22,85% Alagoas Lula 46,67% Alckmin 37,77% Sergipe Lula 47,33% Alckmin 44,36% Bahia Lula 66,68% Alckmin 25,97% Minas Gerais Lula 50,8% Alckmin 40,62% Espírito Santo Lula 50,8% Alckmin 40,62% Rio de Janeiro Lula 49,18% Alckmin 28,86% São Paulo Alckmin 54,34% Lula 36,66% Paraná Alckmin 53,01% Lula 37,9% Santa Catarina Alckmin 56,61% Lula 33,22% Rio Grande do Sul Alckmin 55,76% Lula 33,07%

Mais Sobre Política - Nacional

Sergio Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ

Sergio Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ

O juiz federal Sergio Moro, que assumirá o Ministério da Justiça no próximo governo, confirmou hoje (20) os nomes dos delegados Maurício Valeixo pa

Paulo Guedes quer secretaria de privatizações para acelerar a venda de ativos

Paulo Guedes quer secretaria de privatizações para acelerar a venda de ativos

O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, pretende criar uma Secretaria de Privatizações no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) par

Haddad vira réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Haddad vira réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

É a primeira vez que o petista se torna réu em ação criminal

O presidente eleito Jair Bolsonaro diz que soberania e leis do Brasil devem ser respeitadas

O presidente eleito Jair Bolsonaro diz que soberania e leis do Brasil devem ser respeitadas

Em meio a reações como a do governo cubano que decidiu suspender a parceira com o Programa Mais Médicos, o presidente eleito Jair Bolsonaro voltou a