Porto Velho (RO) quinta-feira, 16 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Lojas Americanas e Submarino confirmam negociação para fusão


Agência O GloboRIO - A Americanas.com e o site Submarino confirmaram nesta quinta-feira que estão negociando uma fusão, que poderá resultar na criação da B2W Companhia Global de Varejo.A B2W, que será listada no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo, nasce com faturamento bruto de R$ 1,6 bilhão até setembro, sendo R$ 563 milhões do Submarino e R$ 1,0 bilhão da Americanas.com.O Ebitda no mesmo período é de R$ 133 milhões (R$ 40 milhões do Submarino e R$ 93 milhões da Americanas.com).Pelo acordo, a Lojas Americanas, controlada por Jorge Paulo Lemann, Beto Sucupira e Marcel Telles, terá 53,25% da nova empresa, enquanto os acionistas do Submarino ficarão com 46,75%. A venda de produtos será feita por meio de internet, televendas e quiosques. Os três executivos são ex-donos do Banco Garantia e já estiveram envolvidos em outras megafusões como a que resultou na criação da Ambev, em 1999, quando a Brahma se juntou à Antarctica. Em 2004, a nova empresa se juntou à belga Interbriew, formando a maior cervejaria do mundo.Não é por menos que Lemann aparece na 200ª posição no ranking dos mais ricos do mundo, feito pela revista Forbes, com US$ 3,4 bilhões. Telles ocupa o 512º lugar, com US$ 1,5 bilhão, e Sucupira é apontado como o 606° mais rico do mundo, com US$ 1,3 bilhão.Governança corporativaCada ação atual do Submarino será substituída por uma ação de B2W, sendo que os detentores destes papéis receberão uma distribuição extraordinária de R$ 500 milhões. Já as Lojas Americanas farão uma capitalização de R$ 175 milhões da Americanas.com antes da transação.Além disso, a Lojas Americanas assinará um termo por meio do qual assumirá um standstill, no qual é limitada, entre outros pontos, sua capacidade de adquirir ações adicionais de B2W, além de níveis pré-determinados e sem a aprovação da maioria dos membros independentes do Conselho de Administração.Se concretizada, a fusão será a primeira com uma empresa de capital pulverizado e controle difuso na Bovespa.O site Submarino, desde março de 2005, está submetido às regras de governança corporativa do chamado Novo Mercado e não tem um sócio controlador.A fusão deverá ser aprovada em Assembléia Geral de Acionistas de ambas as empresas.Ainda de acordo com nota distribuída à imprensa, a B2W será co-presidida pelos atuais presidentes da Americanas.com, Anna Saicali, e do Submarino, Flávio Jansen. A companhia terá sede social em São Paulo, com centros operacionais não apenas na cidade, mas também no Rio de Janeiro.A expectativa é de que a fusão seja concluída até 31 de dezembro de 2006, estando sujeita à aprovação dos acionistas do Submarino e Americanas.com, necessitando também do aval de agências regulatórias. Até que a operação seja concluída, ambas as empresas seguirão com suas operações de forma independente.Os assessores financeiros do negócio são Banco Credit Suisse, pelo Submarino, e Citigroup, pela Lohjas Americanas.A assessoria jurídica ficará a cargo dos escritórios Mattos Filho Veiga Filho Marrey Jr. e Quiroga Advogados, pelo Submarino, e Barbosa, Müssnich e Aragão Advogados, representando a Lojas Americanas.As ações do Submarino acumulam alta de 20% em novembro. Somente nesta quarta-feira, os papéis do Submarino subiram 4,80%, para R$ 52,50. As ações preferenciais das Lojas Americanas avançaram 12,37% este mês e a empresa atingiu o maior valor de mercado desde o lançamento das ações.

Mais Sobre Política - Nacional

 Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

O desembargador do TRF-4 Rogério Fraveto, que em 8 de julho determinou a soltura do ex-presidente Lula, decisão que não foi cumprida, disse, em sua de

Grupo Abril pede recuperação judicial

Grupo Abril pede recuperação judicial

O grupo Abril entrou com um pedido recuperação judicial nesta quarta-feira (15); plano de recuperação judicial será mostrado aos credores em até 60 di

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Está revogada a decisão do Carf que havia livrado o banco de pagamento de multa de R$ 26 bilhões por sonegação de impostos; é a maior da história...

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários protestam contra as resoluções da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da Uni