Domingo, 19 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Juízes reagem a candidatos e dizem que parlamentares ganham muito mais


Luiz Cláudio de Castro - Agência O Globo BRASÍLIA - Os juízes federais não gostaram das críticas feitas ao Judiciário pelos deputados Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e Arlindo Chinaglia (PT-SP) no debate promovido pela TV Câmara. Em nota, a Associação dos Juízes Federais (Ajufe) afirma que não é verdade que um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) ganhe quase três vezes o salário do presidente da República e desafia os outros poderes a seguirem a decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que está forçando a adequação dos salários no Judiciário ao teto do funcionalismo. Os juízes afirmam que é "inadequada e imperfeita" a comparação entre a remuneração dos ministros e a dos parlamentares ou do presidente. Segundo a Ajufe, as vantagens e verbas extras fazem com que os salários dos ocupantes desses cargos sejam muito superiores aos dos magistrados. No debate, Aldo chegou a propor o congelamento dos salários dos ministros do STF até a definição de um teto único para os três poderes. Chinaglia disse que o teto impede salários e aposentadorias exorbitantes e sugeriu que o teto dos três poderes seja o salário do Legislativo federal. "Os ministros do Supremo Tribunal Federal são remunerados em parcela única, denominada subsídio, diversamente dos demais poderes que, pela natureza do cargo, são destinatários de outras verbas e benefícios indiretos, que acabam por superar, em muito, a retribuição dos magistrados", diz a nota. A Ajufe afirma que o reajuste anual do salário dos ministros está previsto na Constituição e que a proposta encaminhada ao Congresso tem "perfeita adequação orçamentária e financeira". Os juízes observam ainda que existe, sim, um teto no funcionalismo, tanto que o CNJ está determinando cortes nos salários acima dos valores previstos. E desafiam os demais poderes a tomarem providência semelhante à adotada no Judiciário. "Semelhante providência deveria ser adotada pelos demais Poderes, pelo Ministério Público e pelo Tribunal de Contas da União, divulgando a remuneração e vantagens de seus servidores e agentes políticos e as medidas adotadas para coibir eventuais excessos, tudo para se adequarem ao teto dos vencimentos do serviço público e permitir o controle por toda a sociedade", diz a nota, assinada pelo presidente em exercício da Ajufe, Fernando Cesar Baptista de Mattos.

Gente de OpiniãoDomingo, 19 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Domingo, 19 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)