Quinta-feira, 25 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Internauta brasileiro é jovem, tem mais instrução e renda familiar mais alta


Agência O Globo RIO - O internauta brasileiro é jovem e tem grau de instrução e renda familiar superiores à maioria da população brasileira. O perfil foi traçado no estudo suplementar da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2005, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o levantamento, o grupo etário que mais acessa a internet da escola, de casa ou do trabalho se situa entre os 15 e 17 anos de idade - 33,9% acessou a rede em 2005. Entre os que tinham 18 e 19 anos, 32,9% acessavam a internet. Já na faixa de 20 a 24 anos, o percentual era de 31,1%. O uso da internet cai na medida em que aumenta a faixa etária a partir dos 15 anos, atingindo apenas 7,3% da população com 50 anos ou mais de idade. A utilização da rede também é maior entre as pessoas mais instruídas. Entre os seus usuários, a média de anos de estudo foi de 10,7 anos, enquanto entre as pessoas que não utilizavam a rede a média correspondeu a 5,6 anos de estudo. Segundo a pesquisa, quanto maior o nível de instrução, maior é a proporção de uso da internet. Enquanto apenas 2,5% das pessoas sem instrução ou com até quatro anos de estudo acessaram a rede, o percentual sobe para 76,2% entre os que estudaram 15 anos ou mais. Outra diferença diz respeito à renda dos internautas do país. A renda média mensal domiciliar per capita daqueles que usaram a internet, de R$ 1 mil, correspondeu a pouco mais do triplo dos que não usaram a rede, de R$ 333. No total da população com 10 anos ou mais de idade do Brasil, 21% utilizaram a internet em 2005, o equivalente a 32,1 milhões de pessoas. A pesquisa mostrou ainda que a educação foi a finalidade mais citada para o uso da rede, com 71,7% das respostas, seguida pela comunicação com outras pessoas (68,6%), atividades de lazer (54,3%) e leitura de jornais e revistas (46,9%). O principal motivo citado entre os que não usavam a rede foi a falta de um computador, com 37,2% das respostas. Já o percentual dos que não usaram porque não acharam necessário foi de 20,9%. Outros 20,5% dos que não usavam a rede disseram que não sabiam utilizá-la. (Ana Paula Grabois | Valor Online)

Gente de OpiniãoQuinta-feira, 25 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Quinta-feira, 25 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)