Porto Velho (RO) sábado, 31 de julho de 2021
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Índios querem estrada da Raposa bloqueada até julgamento de demarcação no STF


 
Marco Antônio Soalheiro
Enviado especial

Terra Indígena Raposa Serra do Sol (RR) - Quem chega à Raposa pela RR-319, estrada conhecida como Transarrozeira, encontra, alguns quilômetros adiante, um bloqueio de estacas de madeira e arame. A barreira foi montada por índios orientados pelo Conselho Indígena de Roraima para impedir que produtores de arroz levem às suas fazendas material usado nas lavouras, como fertilizantes e sementes.

Eles avisam que a passagem só será permitida ao arrozeiro que quiser apenas retirar pertences. “Só aceitamos a saída. Entrada com veneno não aceitamos mais, pois está poluindo nossa água dos igarapés”, disse o agricultor indígena Valquir Paixão, de 54 anos.

Quando alguém se aproxima da barreira, rapidamente índios da Comunidade Jawari saem de suas malocas e iniciam a identificação dos estranhos. Pedem documento de identidade para comparar com crachá funcional e, só depois de desfeita a desconfiança, aceitam dar entrevista, precedida de uma apresentação dos repórteres aos moradores, reunidos em um barracão.

O tuxaua Francisco Constantino Júnior, de 42 anos, é quem responde primeiro, observado por praticamente todos do local: “O bloqueio foi uma decisão das comunidades da Raposa, e não vamos abrir mão até o julgamento [das ações que contestam a demarcação em área contínua]no Supremo [Supremo Tribunal Federal]. Queremos que os arrozeiros saiam”.

A equipe da Agência Brasil estava presente quando os índios impediram a passagem do arrozeiro Ivo Barili, que, acompanhado da esposa e de uma repórter de Boa Vista, pretendia ir de caminhonete para sua fazenda.

“Eles [arrozeiros] não conversam com a gente [sobre] o que querem fazer, e nós só liberamos a entrada para retirar bens”, justificou Perciliano Januário, tuxaua [chefe] de comunidade vizinha à Jawari.

O bloqueio da estrada começou segunda-feira (5). A Polícia Federal foi ao local no dia seguinte e, segundo o delegado Fernando Romero, fez um acordo com a comunidade para que liberasse a estrada.

A trégua durou apenas 24 horas. “Eles abriram e depois fecharam, apesar do nosso pedido para que retirassem [as estacas e o arame]. Os ânimos estão exaltados. Já solicitamos uma participação mais ativa da Funai [Fundação Nacional do Índio], porque isso extrapola nossas atribuições”, disse Romero.

Os indígenas alegam, no entanto, que quem não cumpriu o acordado foi a PF. “O acordo era para que a polícia passasse a controlar a entrada dos arrozeiros só para retirarem a colheita, mas eles [agentes da PF] não apareceram”, justifcou o professor indígena Jaime Araújo.

O delegado Romero afirmou que o desbloqueio da estrada à força só poderia ser feito com amparo em autorização judicial. O arrozeiro Ivo Barili já entrou com pedido na Justiça Federal e aguarda uma decisão a qualquer momento.

 

Mais Sobre Política - Nacional

Mariana Carvalho defende novas medidas aprovadas pelo Congresso no enfrentamento à Covid-19

Mariana Carvalho defende novas medidas aprovadas pelo Congresso no enfrentamento à Covid-19

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO) defendeu nesta quinta-feira (2) as medidas que estão sendo aprovadas pela Câmara e pelo Senado no

Relator revisor da MP 924 - Coronavírus, Dep Lucio Mosquini destaca liberação de 5 Bilhões para enfrentamento da crise na saúde

Relator revisor da MP 924 - Coronavírus, Dep Lucio Mosquini destaca liberação de 5 Bilhões para enfrentamento da crise na saúde

O deputado federal Lucio Mosquini é o relator revisor da MP 924/2020, conhecida como MP do Enfrentamento do coronavírus. O Senador Eduardo Gomes també

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Rede Brasil Atual - Deputados da oposição anunciaram hoje (5) que vão apresentar denúncia no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro da Edu