Domingo, 25 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Gedimar deve recuar de suas declarações, diz advogado


Alan Gripp - Agência O Globo CUIABÁ - Acusados de participar da operação de compra de um dossiê contra os tucanos José Serra e Geraldo Alckmin, o advogado Gedimar Pereira Passos Passos e o empresário Valdebran Padilha, filliado ao PT, já estão na sede da Polícia Federal em Cuiabá para prestar depoimento. Caso haja alguma contradição em relação aos depoimentos tomados até agora, a PF fará uma acareação entre Gedimar, Valdebran, Luiz Antônio Vedoin e Paulo Roberto Trevisan, que foi preso transportando o material de Cuiabá para São Paulo. O advogado de Gedimar, Cristiano Maronna, indicou que seu cliente irá recuar das declarações dadas em depoimento na sexta-feira na Polícia Federal em São Paulo. Segundo Maronna, Gedimar disse que há divergências entre o que aconteceu e as informações que têm sido divulgadas pela imprensa nos últimos dias, mas não entrou em detalhes. - Ele disse que não bate. Ele disse que foi ouvido por mais de dez horas e existem divergências entre o que ele disse e o que está publicado - disse o advogado. Já o advogado do empresário Valdebran Padilha, Luiz Antônio Lourenço da Silva, confirmou que seu cliente foi a São Paulo para receber R$ 1,7 milhão de Gedimar. Ele disse, no entanto, que Valdebran não foi à capital paulista como membro do PT, e sim como amigo da família Vedoin, acusada de chefiar a máfia das ambulâncias. Na versão de Lourenço, o dinheiro serviria para pagar advogados e o tratamento médico de parentes de Luiz Antônio Vedoin. - Ele não foi lá como membro do PT, foi como amigo do Vedoin. Os Vedoin dizem que estão sem dinheiro para pagar advogado e tratamento médico - disse o advogado. Ao ser perguntado sobre o fato de seu cliente estar com uma grande quantidade de dinheiro vivo nas mãos, Lourenço cometeu um ato falho: - Eu também gostaria de andar com um milhão... mas lícito, é claro. Eu não estou dizendo que o dinheiro de meu cliente é ilícito, não sei. O procurador da República Mário Lúcio Avelar confirmou que pediu a prorrogação da prisão temporária de Gedimar, Valdebran e Paulo Roberto por mais cinco dias. O prazo da prisão temporária vence na quarta-feira.

Gente de OpiniãoDomingo, 25 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Domingo, 25 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)