Porto Velho (RO) segunda-feira, 18 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Fátima Cleide recebe regente da Orquestra Sinfônica Nacional


Música Brasileira no Tempo é o nome do projeto apresentado ontem pela maestrina Lígia Amagio à senadora Fátima Cleide (PT-RO), durante audiência no Senado, que tem o objetivo de levar a todas as escolas públicas brasileiras a produção musical erudita dos grandes compositores do País, com registro do contexto social em que as composições foram gravadas.

O projeto é desenvolvido pela Orquestra Sinfônica Nacional, da qual Lígia é regente titular desde 1996, pela Universidade Federal Fluminense, instituição mantenedora da orquestra e pelo Ministério da Educação(MEC). No encontro também esteve a coordenadora de produção da Orquestra Sinfônica Nacional Marianna Kutassy.  

Ao entregar à senadora Fátima o DVD "Aurora Luminosa – Música Brasileira no Alvorecer do Século XX", o primeiro de uma série de quatro que integra a coleção do projeto, a maestrina explicou tratar-se de um projeto já iniciado e que conta com o apoio do ministro da Educação, Fernando Haddad, que está dedicando esforços para destinar recursos à sua plena execução.

"O ministro está realmente encantado e apóia esta iniciativa. Queremos oferecer o acesso às crianças e jovens de um vasto repertório da musica clássica brasileira, riquíssima e pouco conhecida. Entendemos que é um mito a idéia de que a população não aprecia este gênero de música. Ela aprecia, o que falta é oportunidade de acesso", disse Lígia.

A senadora Fátima Cleide compartilha dessa avaliação. Lembrou a incursão do pianista Artur Moreira Lima em Porto Velho, com apresentação na periferia, surpreendendo alguns organizadores da Prefeitura "com grande público presente".  

O Aurora Luminosa compreende o período entre 1890 e 1905 e tem os compositores Carlos Gomes(1836-1896), Leopoldo Miguez(1850-1902), Alexandre Levy(1864-1892) e Alberto Nepomuceno(1864-1920). O título deste DVD remete à expressão criada por um jornalista para anunciar a iluminação da avenida Rio Branco, no Rio de Janeiro, em 1905, momento de modernização, tempo de transição cuidadosamente contextualizado no DVD.

Lígia Amagio, premiada internacionalmente, foi apresentada à senadora pelo advogado e assessor parlamentar Milton Córdova, que em Brasília apóia as incursões da maestrina para tratar de assuntos ligados à Orquestra Sinfônica Nacional.

Cada um dos DVDs e CDs do projeto Música Brasileira no Tempo terá edição de 40 mil exemplares. As matrizes sonoras e as imagens do projeto também estarão disponíveis no Portal Domínio Público, do MEC. 

Ela também pediu apoio da senadora para ajudar a Orquestra Sinfônica Nacional a ter um espaço próprio, com sala de ensaio para os músicos, camarim e apresentação ao público. Situada nas dependências da Universidade Federal Fluminense, a estrutura existente é precária. A Orquestra Sinfônica Nacional é a única do gênero no Brasil. Foi criada pelo presidente Juscelino Kubitschek, e músicos de alta qualidade técnica a integram. Informações sobre a Orquestra, músicos e sua regente podem ser obtidas na pagina www.uff.br/centroarte/osn.

Fonte: Mara Paraguassu

Mais Sobre Política - Nacional

Aepet denuncia: Temer prepara maior crime da história durante a Copa

Aepet denuncia: Temer prepara maior crime da história durante a Copa

AEPET alerta: "as multinacionais pretendem que o governo Temer anule a decisão do Conselho Nacional de Política Energética pela contratação direta da

Ex-diretor do DER fecha delação

Ex-diretor do DER fecha delação

O ex-diretor geral do DER do Paraná Nelson Leal Júnior fechou acordo de delação premiada com a força-tarefa da Lava Jato onde se comprometeu a fornec

FHC, sobre sua atuação como tesoureiro informal: pedi mesmo

FHC, sobre sua atuação como tesoureiro informal: pedi mesmo

Enquanto Lula está preso sem jamais ter enviado emails a empreiteiros pedindo 'SOS', o ex-presidente FHC admite que atuou como tesoureiro informal do

CNJ proíbe juízes de manifestarem apoio ou críticas políticas na internet

CNJ proíbe juízes de manifestarem apoio ou críticas políticas na internet

O CNJ divulgou uma regulamentação para proibir o uso de redes sociais por parte de magistrados para dar apoio ou expressar críticas a políticos e part