Porto Velho (RO) segunda-feira, 23 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Estatais puxam aumento de verbas publicitárias do governo em 2006


Agência O GloboBRASÍLIA - O governo federal gastou mais recursos, em 2006, com publicidade. Segundo balanço divulgado pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, foram investidos R$ 1,015 bilhão, um aumento de 5,48% em relação a 2005. O crescimento foi puxado pela atuação das empresas estatais, que utilizaram 12% a mais de recursos no setor e são responsáveis pela maioria (76%) do montante publicitário do governo.A administração federal possui três tipos de publicidade, todas coordenadas pela Secretaria de Comunicação Social: as institucionais, que aborda campanhas mobilizadoras e de governo, que gastou R$ 90,27 milhões; as de utilidade pública, como a do censo previdenciário ou a de vacinação, responsáveis por R$ 240,59 milhões; e por último das estatais, que anunciam com os conceitos de concorrência no mercado para afirmar suas marcas, como é o caso da Petrobras e Banco do Brasil - utilizaram R$ 775,17 milhões."A política de Secom é dar total transparência nos gastos do governo na publicidade, porque não tem nada para esconder. No ano passado, gastamos R$ 1,015 bilhão em publicidade. Desse total, 76% foram gastos em publicidade de empresas estatais que competem no mercado. É um valor compatível com que investem os concorrentes", explica o sub-chefe executivo da Secretaria de Comunicação Social, Ottoni Fernandes Jr.Segundo a secretaria, o ritmo de crescimento da publicidade das estatais é compatível com o "comportamento do mercado", que, segundo dados apurados pelo Ibope Mídia, teve crescimento de 12,3% em 2006. A secretaria não divulga os dados específicos de cada estatal, porque, segundo Fernandes Jr., são informações "reservadas e estratégicas" para os setores. "O governo não divulga os números particulares dessas empresa, porque é uma informação de segredo competitivo. Mas posso dizer que os gastos do Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal são absolutamente compatíveis com similares como Bradesco e Itaú. Na realidade, até um pouco menos."

Mais Sobre Política - Nacional

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Implacável para condenar lideranças do PT na República de Curitiba, a Justiça brasileira não mostra o mesmo furor para investigar e julgar os tucanões

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o anúncio da liberação de saques das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviç