Porto Velho (RO) sábado, 25 de maio de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Empresário envolve presidente do Conselho de Ética da Câmara no esquema das sanguessugas


Agência O GloboRIO - O empresário Luiz Antônio Vedoin, cujas denúncias de suborno geraram o escândalo das sanguessugas e ajudaram a manchar ainda mais a imagem do Congresso Nacional , deu entrevista à revista "Época" em que inclui na lista de parlamentares do esquema de ambulâncias superfaturadas o presidente do Conselho de Ética da Câmara, Ricardo Izar (PTB_SP), o corregedor Ciro Nogueira (PP-PI), o líder do PTB, José Múcio Monteiro (PE) e o ex-corregedor Luiz Piauhylino (PSB-PE). Os quatro negam envolvimento no esquema.Vedoin, que tinha inocentado em depoimento à Justiça 82 parlamentares, em declarações que foram ratificadas por seu pai e sócio, Darci Vedoin, justificou a inclusão de novos nomes na denúncia afirmando que são muitas as informações relativas ao esquema, e ele se esqueceu de incluir os quatro nomes em suas acusações.O esquema movimentou cerca de R$ 110 milhões do Orçamento na compra de ambulâcias superfaturadas em 600 municípios de 24 estados. Da lista inicial, a CPI dos Sanguessugas investiga 72 parlamentares. A reportagem levanta três hipóteses para a inclusão de novos nomes: "Uma possibilidade é que Vedoin tenha remexido velhos papéis e encontrado o nome dos novos suspeitos. (...) Outra hipótese é que ele tenha resolvido atingir cúmplices que antes protegia, porque se desentendeu com eles. Um indício disso é que, numa das conversas com 'Época', afirmou que pretende divulgar na imprensa todos os nomes dos parlamentares que lhe devem dinheiro. 'Assim, posso receber mais rápido', afirmou. Uma terceira hipótese é que ele esteja simplesmente inventando acusações. É o que afirmam os novos acusados".Vedoin diz que Izar, Ciro Nogueira, José Múcio e Piauhylino "teriam participado das fraudes por intermédio de uma lobista do esquema até agora desconhecida das autoridades: Cristianne Mayrink Sampaio Silva Neto, de 28 anos, uma mulher bonita sempre vista em companhia de deputados nos corredores do Congresso e em restaurantes badalados de Brasília", diz a revista. "Pela descrição de Vedoin, Cristianne teria sido uma espécie de operadora terceirizada da Planam, empresa que vendia as ambulâncias superfaturadas às prefeituras. Ela teria cuidado pessoalmente de um grupo de deputados, '20 ou 25', de acordo com Vedoin. Teria se encarregado de fazer contato com os parlamentares e de pagar propina aos que entrassem no esquema".

Mais Sobre Política - Nacional

Audiência Pública no Senado Federal debate violência nas escolas e as suas consequências

Audiência Pública no Senado Federal debate violência nas escolas e as suas consequências

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) do Senado Federal promove nesta terça-feira (14), às 9h, audiência pública para debater com especialist

Presidente Bolsonaro assina novas regras para atiradores e caçadores

Presidente Bolsonaro assina novas regras para atiradores e caçadores

O presidente Jair Bolsonaro assinou hoje (7), em cerimônia no Palácio do Planalto, o decreto que regulamenta a posse, o porte e a comercialização de a

Villas Bôas diz que se Jair Bolsonaro fracassar, as forças armadas vão pagar a conta

Villas Bôas diz que se Jair Bolsonaro fracassar, as forças armadas vão pagar a conta

O ex-comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, que reagiu aos ataques aos militares, de Olavo de Carvalho, guru do presidente da República

Mariana reforça luta a favor de pacientes com doenças raras

Mariana reforça luta a favor de pacientes com doenças raras

A deputada Mariana Carvalho (RO) participou na quarta-feira (24) de debate promovido pela Comissão de Defesa da Pessoa com Deficiência sobre as dif