Porto Velho (RO) terça-feira, 13 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Em nota, campanha petista agradece à militância e critica 'descalabro' do governo FH


Agência O GloboSÃO PAULO - Em nota distribuída nesta terça-feira à militância do partido, a coordenação nacional da campanha de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) agradece aos milhares de militantes que trabalharam "incansavelmente" no primeiro turno das eleições e conclama o "povo brasileiro" a ocupar a linha de frente da campanha no segundo turno.A nota dá início à estratégia da campanha do partido para o segundo turno, que pretende comparar o governo Lula ao de seu antecessor, o tucano Fernando Henrique Cardoso, que administrou o país em dois mandatos. A coordenação da campanha afirma que o segundo turno será um confronto entre "dois projetos de nação", entre forças "progressistas e conservadoras", e diz que o Brasil não voltará aos tempos de "descalabro" do governo FH.Leia abaixo íntegra da nota:"Lula de novo, com a força do povo"A campanha Lula dirige um profundo agradecimento aos milhões de homens e mulheres que, neste domingo, votaram a favor da reeleição do Presidente; e aos milhares de militantes que, em todo o país, trabalharam incansavelmente pela nossa campanha. Chamamos todos a, no segundo turno, reeleger o presidente da República e eleger os governadores comprometidos com nosso projeto."O segundo turno será um confronto entre dois projetos de Nação. De um lado, as forças progressistas comprometidas com um Brasil democrático, popular e soberano. De outro lado, o bloco conservador que governou o Brasil na década de noventa e nos primeiros anos deste século."Lula é candidato à reeleição, porque seu governo foi extremamente positivo para o Brasil: desenvolvimento econômico, redução da vulnerabilidade externa, ampliação do mercado interno, crescimento do emprego, aumento da massa salarial, redução da fome, da miséria e da desigualdade social. O segundo mandato aprofundará isto. Como diz o presidente, "o nome do meu segundo mandato será desenvolvimento, com distribuição de renda e educação de qualidade"."No último domingo de outubro, o povo brasileiro dirá um não ao retrocesso, ao atraso, ao neoliberalismo. Não voltaremos aos tempos de descalabro que marcaram o governo Fernando Henrique Cardoso e os 12 anos de governo tucano em São Paulo."Para derrotar o atraso, a campanha Lula buscará, com firmeza e com humildade, ganhar a confiança e o voto dos eleitores que, no primeiro turno, se abstiveram, votaram em branco e nulo, votaram em outras candidaturas e inclusive os eleitores que optaram por nosso adversário. Apresentaremos nossos acertos, reconhecendo e corrigindo nossos erros, reafirmando o que será nosso segundo mandato e desmascarando de maneira clara e didática as mentiras que foram lançadas contra nós, especialmente nas últimas semanas."Como no primeiro turno, a vitória dependerá principalmente do entusiasmo do povo, dos militantes, dos apoiadores de nossa candidatura: as lideranças dos movimentos sociais e dos partidos, nossos candidatos de primeiro turno, os nossos governadores, parlamentares e prefeitos, a intelectualidade democrática e a juventude. Conclamamos o povo brasileiro a ocupar a linha de frente da campanha."Lula de novo, com a força do povo. "À vitória!A coordenação nacional da campanha Lula presidente"

Mais Sobre Política - Nacional

JUÍZA SUBSTITUTA DE MORO NEGA PEDIDO DE LULA PARA SER INTERROGADO DE NOVO

JUÍZA SUBSTITUTA DE MORO NEGA PEDIDO DE LULA PARA SER INTERROGADO DE NOVO

A juíza federal substituta Gabriela Hardt negou, nesta terça-feira (13), o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que ele

Bolsonaro anuncia o general Fernando Azevedo e Silva para a Defesa

Bolsonaro anuncia o general Fernando Azevedo e Silva para a Defesa

A pasta seria ocupada inicialmente pelo general Augusto Heleno

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

O exame tem validade de cinco anos para condutores com menos de 65 anos.

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro e Boulos precisam decidir se querem dar um passo em frente ou dois passos atrás.