Porto Velho (RO) domingo, 24 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

É grave o decreto que retira poderes da Petrobras na Bolívia


Luiza Damé - Agência O GloboBRASÍLIA - A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse nesta quinta-feira que o governo considera grave o decreto do governo boliviano que retira poderes da Petrobras. Segundo a ministra, o presidente Luiz Inácio Lula daSilva determinou ao ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau, e ao assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, que falem com o governo boliviano para avaliar a extensão do decreto.- O governo está olhando com muito cuidado essa questão e está preocupado. O presidente solicitou ao ministro que entrasse em contato com o governo boliviano para avaliar algo que achamos que é grave, que é essa resolução do Ministério de Hidrocarburos da Bolívia. Esse processo está em andamento - disse a ministra.Dilma afirmou que a viagem de Rondeau e do presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, marcada para a noite desta quarta-feira, foi cancelada. Segundo a ministra, o governo considera que o decreto não está de acordo com as negociações que vinham sendo feitas entre os governos brasileiro e boliviano desde que o presidente Evo Morales nacionalizou o petróleo, no dia 1º de maio.- O governo considera que não está dentro do que acertamos com o governo boliviano quando o vice-presidente Linera (Álvaro García Linera) esteve no Brasil e que não era o que esperávamos. As tratativas estão sendo feitas nesta tarde e, possivelmente no final da tarde, o governo vai se posicionar - disse Dilma.A ministra não descartou a possibilidade de Lula falar com Morales. A ministra disse que não faria avaliação subjetiva do ato, ao responder se o governo brasileiro estava decepcionado com a decisão boliviana.- Achamos que o decreto, não digo quebra de confiança, mas ele não está adequado às tratativas que vinham sendo feitas. O governo vai avaliar e na oportunidade vai tomar posição. Também não é relação de supresa. Não se coaduna com a posição anterior. Não é relação de surpresa, é relação de não ter coerência com posições assumidas ou não - disse.

Mais Sobre Política - Nacional

Câmara dos Deputados: CCJC aprova projeto de política nacional de prevenção ao suicídio

Câmara dos Deputados: CCJC aprova projeto de política nacional de prevenção ao suicídio

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO), informou que Câmara dos Deputados, por meio da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC)

Vídeo: Mariana Carvalho comemora a aprovação do seu projeto em que o agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

Vídeo: Mariana Carvalho comemora a aprovação do seu projeto em que o agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

Projeto da deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO) e do deputado Rafael Motta (PSB-RN) é aprovado no Senado Federal. O projeto determina que o agressor

APROVADO – Agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

APROVADO – Agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

O Plenário do Senado aprovou, nesta terça-feira (19), projeto que determina que o agressor nos casos de violência doméstica e familiar será obrigado a

Câmara dos Deputados aprova prioridade de matrícula para filhos de mulher vítima de violência

Câmara dos Deputados aprova prioridade de matrícula para filhos de mulher vítima de violência

Proposta permite ao juiz determinar a matrícula ou transferência de dependentes da mulher vítima de violência independentemente da existência de vagaO