Porto Velho (RO) segunda-feira, 23 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Discriminação de gênero é difícil de tratar, afirma juíza



Agência Brasil  

Brasília - A juíza do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Amini Haddad, disse que a discriminação de gênero, além de não ser amparada pela Constituição brasileira, é muito difícil de tratar, pois é vista com naturalidade.

Segundo ela, que é coordenadora de Direitos Humanos da Associação Mato-Grossense dos Magistrados, "a realidade é muito diferente das declarações de direito".  As mulheres, disse Haddad, representam mais de 60% dos alunos nas universidades e ainda não conseguiram alcançar o mesmo espaço dos homens.

Para seguir o exemplo dos Estados Unidos, que em janeiro promulgou a lei que garante os mesmos salários para homens e mulheres, o estado de Mato Grosso desenvolveu uma iniciativa popular denominada Lei da Igualdade. "Essa iniciativa partiu da Coordenadoria de Direitos Humanos e quer angariar 1 milhão de assinaturas por todo o Brasil", afirmou Amini. O objetivo é garantir que as mulheres tenham as mesmas oportunidade que os homens.

"Nós [mulheres] temos menos de 10% de representantes no Senado. Não temos na história uma presidente da República. Nos tribunais, a composição também beira os 10%", acrescentou. Amini acredita que a discriminação das mulheres ocorre ainda na esfera privada, pois elas recebem salários diferentes e não ocupam altos cargos nas empresas.

Para a juíza, a desigualdade não ocorre apenas no Brasil, mas é um problema cultural presente em vários países. Amini lembrou que a comunidade internacional tem tratado o assunto em convenções como a das Nações Unidas sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres (Cedaw, a sigla em inglês).


 

Mais Sobre Política - Nacional

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Implacável para condenar lideranças do PT na República de Curitiba, a Justiça brasileira não mostra o mesmo furor para investigar e julgar os tucanões

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o anúncio da liberação de saques das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviç