Porto Velho (RO) quarta-feira, 11 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Combate à corrupção já expulsou 1.711 do serviço


  
De 2003 a abril deste ano, o número de agentes públicos federais expulsos do serviço por envolvimento em práticas ilícitas já chega 1.711. A informação foi  pelo ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, durante entrevista coletiva a emissoras de rádio de todo o País, no Programa Bom Dia Ministro, a partir do estúdio da Empresa Brasil de Comunicação, coordenado pela Secretaria de Imprensa da Presidência da República.

O combate à corrupção e à impunidade na a dministração p ública f ederal, segundo o ministro, vem resultando na punição de agentes públicos dos mais diversos níveis, inclusive diretores, superintendentes e assessores de empresas estatais, auditores e fiscais da Receita e da Previdência, além de procuradores e ocupantes de outros cargos na a dministração. “Já se foi o tempo em que só os pequenos eram punidos”, disse Hage.

Para combater a cultura da impunidade, em 2007 foi consolidado o processo de implantação do Sistema de Correição da Administração Pública Federal, que conta hoje com uma unidade em cada Ministério e é coordenado pela Corregedoria-Geral da União, órgão que integra a estrutura da CGU. Além disso, a Controladoria lançou também um Programa de Capacitação em Processo Disciplinar, que já treinou, desde 2003, quase cinco mil servidores em todo P aís. O número de agentes públicos capacitados no ano passado, chegou a 1.305

Entre as penalidades expulsivas aplicadas, Jorge Hage informou que 1.485 foram demissões; 127 destituições de cargo em comissão; e 99 cassações de aposentadorias. "E não é só bagrinho não. É gente de nível alto, diretores dos Correios, da Infraero e até secretários de orçamento", lembrou o ministro.

Segundo o ministro já está muito claro que não se trata de aumento da corrupção. O que há é um aumento da investigação e do combate aos desvios de dinheiro público. “A maioria dos casos que temos descoberto e investigado em conjunto com a Polícia Federal são esquemas antigos de corrupção“, disse ele, exemplificando com as operações Vampiro, Sanguessuga e Confraria, esquemas que tiveram origem na D écada de 90 e só foram desbaratadas no atual governo.

Cartões

Ainda na entrevista, o ministro Jorge Hage destacou a importância do Portal da Transparência, que ele considera “uma das maiores conquistas do Governo do Presidente Lula, no que diz respeito à moralização do gasto do dinheiro público”. Ele explicou que, pelo do Portal, qualquer cidadão pode acompanhar todos os gastos do Governo Federal, seja o gasto feito diretamente pela administração federal, seja por meio de transferências aos estados, municípios, organizações não-governamentais ou aos cidadãos, como é o caso do P rograma Bolsa Família.

O ministro defendeu o uso do Cartão de Pagamento do Governo Federal, garantindo ser esta “uma conquista da transparência pública, da modernidade e da desburocratização”. Hage ressaltou, contudo, que “não tem sentido” o uso de cartões pelos ministros em suas viagens a trabalho no P aís. “Nesse caso, nossa proposta é a reinstituição das diárias com valores fixos, como já ocorre com os demais agentes públicos de todos os poderes, de todos os n íveis, no P aís inteiro”, explicou.

Fonte: CGU

Mais Sobre Política - Nacional

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) cobrou do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) a votação, antes que encerre o prazo, da Medida Provisórias cri

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Por unanimidade e em ambiente virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão, tomada

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Neste ano e meio que ele está preso, não tive condições de viajar a Curitiba e fiquei esperando o amigo sair da prisão para poder falar com ele, certo

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p