Porto Velho (RO) segunda-feira, 20 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

CNJ investiga juiz que teria recebido carro


 

Um dos casos mais graves em apuração no CNJ (Conselho Nacional de Justiça) é contra o desembargador do Tribunal de Justiça de Minas Gerais Dorival Guimarães Pereira, acusado de receber uma camionete S-10 para decidir um processo e R$ 60 mil para dar uma liminar.

Pereira foi acusado pelo ex-presidente do TJ-MG Márcio Antônio Marins e pelo promotor Geraldo Ferreira da Silva.

A pedido do corregedor-nacional de Justiça e membro do CNJ, Antônio de Pádua Ribeiro, o conselho abriu dois processos administrativos contra Guimarães Pereira, que poderão resultar em punições, como aposentadoria compulsória.

Por meio da assessoria do TJ-MG, o desembargador Dorival Pereira disse que não falaria sobre o assunto, mas orientou que seu advogado, José Rubens Costa, fosse procurado.

No escritório do advogado, uma secretária informou que Costa estava em audiência fora do escritório e que estava sem o celular. Até as 19h, o advogado não havia telefonado de volta.

Em Alagoas, os desembargadores do Tribunal de Justiça Washington Luiz Damasceno Freitas e José Fernando Lima Souza são suspeitos de conceder a um grupo de magistrados, incluindo eles próprios, uma diferença salarial que teria levado cada um a receber em torno de R$ 700 mil.

A pedido do CNJ, uma equipe de técnicos do TCU (Tribunal de Contas da União) esteve na semana passada em Maceió para apurar o fato. A Folha ligou para ambos. A assessoria de Lima Souza informou que ele estava em reunião e não poderia fala. A assessora de Damasceno Freitas disse que iria tentar localizá-lo.

Outro caso considerado grave por Pádua Ribeiro é o de uma juíza estadual do Tocantins que determinou a apreensão de R$ 30 milhões da Eletrobrás em contas de diversas instituições financeiras e fixou multa diária de R$ 200 mil.

A decisão é polêmica porque, como juíza estadual, ela não poderia ter decidido uma causa de interesse da União ou de órgão federal. O CNJ irá deliberar sobre eventual punição.


Mais Sobre Política - Nacional

Do Pato Donald ao caos financeiro, Abril fecha revistas, demite 800 e entra em decadência

Do Pato Donald ao caos financeiro, Abril fecha revistas, demite 800 e entra em decadência

BLOG NOCAUTECom informações do Poder 360A Editora Abril, que já foi a maior do Brasil, acumulou dívidas de cerca de R$ 1,6 bilhão. Só na semana passad

Engenharia do caos: 27 milhões sem trabalho

Engenharia do caos: 27 milhões sem trabalho

O jornalista e escritor Palmério Dória denuncia em seu Twitter o cinismo escancarado do Grupo Globo em omitir o que ele chama de 'engenharia do caos';

 Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

O desembargador do TRF-4 Rogério Fraveto, que em 8 de julho determinou a soltura do ex-presidente Lula, decisão que não foi cumprida, disse, em sua de

Grupo Abril pede recuperação judicial

Grupo Abril pede recuperação judicial

O grupo Abril entrou com um pedido recuperação judicial nesta quarta-feira (15); plano de recuperação judicial será mostrado aos credores em até 60 di