Porto Velho (RO) quarta-feira, 11 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

CGU: Despreparo de gestor público causa irregularidades em municípios


Luciana Vasconcelos
 Agência Brasil

Brasília - O Programa de Sorteios Públicos da Controladoria-Geral da União (CGU) - que avalia os gastos de estados e municípios e acompanha a execução de programas e políticas públicas - já divulgou relatórios de 1.161 municípios entre os 1.281 sorteados no país.
A análise mostra que entre 70 a 80% das localidades existem irregularidades, não necessariamente ligadas à corrupção. Em muitos casos, segundo a CGU, o problema é causado por desinformação e despreparo do gestor público, e não por má-fé.
"No acumulado disso, eu diria que há uma boa parte dos casos em que se trata de desvio de recursos ou fraudes. Ou seja, de ações dolosas", disse hoje (9) o ministro-chefe da Controladoria-Geral da União, Jorge Hage, em entrevista à Rádio Nacional. "Mas outra parte, de despreparo das administrações, sobretudo no caso dos pequenos e médios municípios. Há um grande número de irregularidades formais por desconhecimento das leis e dos procedimentos mais adequados".
Segundo  ele, dentre as irregularidades, a mais freqüente é fraude em licitação, como direcionamento de editais para que determinadas empresas sejam vencedoras. Há, ainda, uso de notas fiscais frias ou falsas e uso de empresas fantasma ou laranja que aparecem nos processos de licitação.
"Outros tipos de irregularidade: superfaturamento e entrega de material em quantidade menor que a contratada. No caso de obras, execução incompleta ou defeituosa. E ausência de prestação de contas ou prestação de contas fraudadas com notas fiscais e recibos fraudados", acrescentou Hage.
As ações foram encaminhadas a órgãos públicos responsáveis pelas medidas corretivas, como Ministério Público, ministérios gestores, Tribunal de Contas da União (TCU), Polícia Federal (PF) e câmaras municipais.
O primeiro sorteio de municípios do Programa de Fiscalização foi realizado em abril de 2003. Em novembro de 2004, o programa foi ampliado aos estados para fiscalizar a execução de programas custeados com verbas federais, mas sob responsabilidade dos governos estaduais.

Mais Sobre Política - Nacional

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) cobrou do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) a votação, antes que encerre o prazo, da Medida Provisórias cri

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Por unanimidade e em ambiente virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão, tomada

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Neste ano e meio que ele está preso, não tive condições de viajar a Curitiba e fiquei esperando o amigo sair da prisão para poder falar com ele, certo

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p