Porto Velho (RO) sábado, 17 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Censo: ensino superior cresce em ritmo lento


Agência O GloboBRASÍLIA - De cada dez facudades brasileiras, apenas duas são públicas e quase metade das vagas oferecidas pelas faculdades particulares não são ocupadas. Os dados fazem parte do Censo do Ensino Supeior, divulgado nesta terça-feria. pelo ministério da Educação. O censo revela que o número de instituições de ensino superior continua crescendo, mas em ritmo menos acelerado. Em 2005, havia 2.165 intituições de ensino superior em todo o país. O crescimento foi de apenas 1% em relação ao ano anterior. Como o jornal O Globo já havia antecipado na edição do dia 9 de dezembro, o Brasil tinha, no ano passado, 4.453.156 estudantes universitários matriculados em cursos de graduação, o que representa aumento de 6,9% em relação a 2004. É a terceira vez seguida que o ritmo de expansão do ensino superior diminui. Em 2002, no último ano do governo Fernando Henrique, o número de matrículas subiu 14,8%. Em 2003, as matrículas aumentaram 11,6%. A taxa de crescimento foi reduzida para 7,1% em 2004 e, no ano passado, para 6,9%.O ministro da Educação, Fernando Haddad, anunciou que o MEC estuda a ampliação do programa Universidade para Todos (Prouni) e do Financiamento Estudantil (Fies) a pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O governo acredita que o ritmo de expansão do ensino superior vem caindo porque os alunos que terminam o ensino médio não têm condições de pagar a faculdade. A idéia é ampliar o acesso.Uma das medidas em estudo prevê que os estudantes paguem o Fies mediante a prestação de serviços na área de educação. Haddad disse também que a criação de universidades federais vai aumentar as matrículas no setor público.- É preciso repensar o modelo de expansão pelo setor privado - disse Haddad, observando que os números do censo reforçam a sua convicção de que é correto o investimento em universidades federais.As instituições de ensino superior privadas respondiam por 73,2% das matrículas em 2005, enquanto o setor público de ensino superior atendia apenas 26,8% dos estudantes. Do total de 4.453.156 universitários brasileiros, 3.260.967 alunos estudavam em cursos de graduação privados e 1.192.189, em instituições públicas. O censo revelou também que 60,1% dos estudantes freqüentavam cursos noturnos e 39,9%, cursos diurnos. No setor público, porém, 63% das matrículas eram diurnas. No privado, 68,6% eram noturnas.As escolas particulares representam 89% e quase a metade está concentrada na Região Sudeste. A Região Norte tem apenas 5,6%. A área com o maior número de cursos é educação, seguida de ciências sociais, negócios e direito. Em 2005, mais de 288 mil alunos entraram em faculdades públicas em todo o Brasil, 195 mil se formaram. Nas particulares essa relaçao é bem maior: em 2005, entraram na rede privada mais 1,1 milhão de estudantes mas só se formaram pouco mais de 500 mil.

Mais Sobre Política - Nacional

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Implacável para condenar lideranças do PT na República de Curitiba, a Justiça brasileira não mostra o mesmo furor para investigar e julgar os tucanões

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o anúncio da liberação de saques das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviç

A solução no Brasil passa por amenizar o atual estágio de “é de direita sou contra” x “se for de esquerda estou contra”

A solução no Brasil passa por amenizar o atual estágio de “é de direita sou contra” x “se for de esquerda estou contra”

A sociedade brasileira vive um processo de antagonismo e radicalização política sem precedentes na história. O radicalismo é tão intenso que beira ao

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: "Proposta do relator sobre aposentadoria dos professores ainda não é justa", diz Jaqueline Cassol

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: "Proposta do relator sobre aposentadoria dos professores ainda não é justa", diz Jaqueline Cassol

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) criticou a proposta do relator da Reforma da Previdência, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), no que diz