Porto Velho (RO) sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Censo: ensino superior cresce em ritmo lento


Agência O Globo BRASÍLIA - De cada dez facudades brasileiras, apenas duas são públicas e quase metade das vagas oferecidas pelas faculdades particulares não são ocupadas. Os dados fazem parte do Censo do Ensino Supeior, divulgado nesta terça-feria. pelo ministério da Educação. O censo revela que o número de instituições de ensino superior continua crescendo, mas em ritmo menos acelerado. Em 2005, havia 2.165 intituições de ensino superior em todo o país. O crescimento foi de apenas 1% em relação ao ano anterior. Como o jornal O Globo já havia antecipado na edição do dia 9 de dezembro, o Brasil tinha, no ano passado, 4.453.156 estudantes universitários matriculados em cursos de graduação, o que representa aumento de 6,9% em relação a 2004. É a terceira vez seguida que o ritmo de expansão do ensino superior diminui. Em 2002, no último ano do governo Fernando Henrique, o número de matrículas subiu 14,8%. Em 2003, as matrículas aumentaram 11,6%. A taxa de crescimento foi reduzida para 7,1% em 2004 e, no ano passado, para 6,9%. O ministro da Educação, Fernando Haddad, anunciou que o MEC estuda a ampliação do programa Universidade para Todos (Prouni) e do Financiamento Estudantil (Fies) a pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O governo acredita que o ritmo de expansão do ensino superior vem caindo porque os alunos que terminam o ensino médio não têm condições de pagar a faculdade. A idéia é ampliar o acesso. Uma das medidas em estudo prevê que os estudantes paguem o Fies mediante a prestação de serviços na área de educação. Haddad disse também que a criação de universidades federais vai aumentar as matrículas no setor público. - É preciso repensar o modelo de expansão pelo setor privado - disse Haddad, observando que os números do censo reforçam a sua convicção de que é correto o investimento em universidades federais. As instituições de ensino superior privadas respondiam por 73,2% das matrículas em 2005, enquanto o setor público de ensino superior atendia apenas 26,8% dos estudantes. Do total de 4.453.156 universitários brasileiros, 3.260.967 alunos estudavam em cursos de graduação privados e 1.192.189, em instituições públicas. O censo revelou também que 60,1% dos estudantes freqüentavam cursos noturnos e 39,9%, cursos diurnos. No setor público, porém, 63% das matrículas eram diurnas. No privado, 68,6% eram noturnas. As escolas particulares representam 89% e quase a metade está concentrada na Região Sudeste. A Região Norte tem apenas 5,6%. A área com o maior número de cursos é educação, seguida de ciências sociais, negócios e direito. Em 2005, mais de 288 mil alunos entraram em faculdades públicas em todo o Brasil, 195 mil se formaram. Nas particulares essa relaçao é bem maior: em 2005, entraram na rede privada mais 1,1 milhão de estudantes mas só se formaram pouco mais de 500 mil.

Mais Sobre Política - Nacional

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Rede Brasil Atual - Deputados da oposição anunciaram hoje (5) que vão apresentar denúncia no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro da Edu

Jair Bolsonaro envia projeto que regulamenta exploração de terras indígenas

Jair Bolsonaro envia projeto que regulamenta exploração de terras indígenas

O presidente Jair Bolsonaro apresentou nesta quarta-feira (5) um projeto de lei (PL) para regulamentar a exploração de atividades econômicas em terras

Carta aberta ao Congresso Nacional pelas aprovações da PEC nº 108 de 2019ª

Carta aberta ao Congresso Nacional pelas aprovações da PEC nº 108 de 2019ª

Nos últimos anos voltou à tona a discussão sobre o excesso de regulamentação profissional no Brasil, numa   verdadeira afronta ao disposto no art. 5º,