Porto Velho (RO) domingo, 19 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Câmara tem pela frente 21 medidas provisórias


Agência O GloboBRASÍLIA - Assim que retornarem de seu carnaval prolongado e voltarem a freqüentar a Câmara, na próxima segunda-feira, os deputados terão muito trabalho pela frente. Os parlamentares têm 21 MPs na pauta e precisam votá-las antes de analisar outros projetos.Do total, oito são relativas ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), seis concedem recursos extras a ministérios e outras sete tratam de assuntos diversos, como a regulamentação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), a correção da tabela do Imposto de Renda (IR) e até mesmo a doação de um terreno ao governo do Amazonas.A Constituição determina que as MPs valem por até 120 dias e só podem ser editadas em casos de urgência e de relevância. Elas têm força de lei e trancam a pauta da Casa em que estiverem tramitando após 45 dias da edição.Mas para o deputado ACM Neto (PFL-BA), o Executivo comete abusos na edição de MPs. Ele cita como exemplo as medidas relativas a créditos extraordinários. Uma resolução do Congresso prevê que essa verba só deveria ser liberada em caso de despesas impresivíveis, como as causadas por guerras ou calamidades públicas.- Mas isso não tem sido respeitado. Como as MPs têm força de lei a partir de sua edição, o governo usa o instrumento para exercer uma atribuição do Legislativo - reclama o pefelista.Tramitam na Câmara 15 propostas que pretendem mudar as regras de tramitação das medidas provisórias. Uma delas, do deputado Roberto Magalhães (PFL-PE), prevê a extinção das MPs.- Essa PEC pode, pelo menos, abrir um debate no sentido de não permitir que o Congresso se transforme num mero ratificador de atos do Poder Executivo - afirma o deputado, que rebate a tese de que o Congresso não tem agilidade para aprovar as leis necessárias à governabilidade.Já o deputado Fernando Ferro (PT-PE) considera "esdrúxula" a proposta de extinção das MPs. Segundo ele, os parlamentares têm de adotar critérios para coibir eventuais abusos do governo.- Se houver um bom critério de admissibilidade, naturalmente será possível restringir aquilo que não for prioritário - argumenta.

Mais Sobre Política - Nacional

Do Pato Donald ao caos financeiro, Abril fecha revistas, demite 800 e entra em decadência

Do Pato Donald ao caos financeiro, Abril fecha revistas, demite 800 e entra em decadência

BLOG NOCAUTECom informações do Poder 360A Editora Abril, que já foi a maior do Brasil, acumulou dívidas de cerca de R$ 1,6 bilhão. Só na semana passad

Engenharia do caos: 27 milhões sem trabalho

Engenharia do caos: 27 milhões sem trabalho

O jornalista e escritor Palmério Dória denuncia em seu Twitter o cinismo escancarado do Grupo Globo em omitir o que ele chama de 'engenharia do caos';

 Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

O desembargador do TRF-4 Rogério Fraveto, que em 8 de julho determinou a soltura do ex-presidente Lula, decisão que não foi cumprida, disse, em sua de

Grupo Abril pede recuperação judicial

Grupo Abril pede recuperação judicial

O grupo Abril entrou com um pedido recuperação judicial nesta quarta-feira (15); plano de recuperação judicial será mostrado aos credores em até 60 di