Segunda-feira, 15 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Câmara tem pela frente 21 medidas provisórias


Agência O Globo BRASÍLIA - Assim que retornarem de seu carnaval prolongado e voltarem a freqüentar a Câmara, na próxima segunda-feira, os deputados terão muito trabalho pela frente. Os parlamentares têm 21 MPs na pauta e precisam votá-las antes de analisar outros projetos. Do total, oito são relativas ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), seis concedem recursos extras a ministérios e outras sete tratam de assuntos diversos, como a regulamentação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), a correção da tabela do Imposto de Renda (IR) e até mesmo a doação de um terreno ao governo do Amazonas. A Constituição determina que as MPs valem por até 120 dias e só podem ser editadas em casos de urgência e de relevância. Elas têm força de lei e trancam a pauta da Casa em que estiverem tramitando após 45 dias da edição. Mas para o deputado ACM Neto (PFL-BA), o Executivo comete abusos na edição de MPs. Ele cita como exemplo as medidas relativas a créditos extraordinários. Uma resolução do Congresso prevê que essa verba só deveria ser liberada em caso de despesas impresivíveis, como as causadas por guerras ou calamidades públicas. - Mas isso não tem sido respeitado. Como as MPs têm força de lei a partir de sua edição, o governo usa o instrumento para exercer uma atribuição do Legislativo - reclama o pefelista. Tramitam na Câmara 15 propostas que pretendem mudar as regras de tramitação das medidas provisórias. Uma delas, do deputado Roberto Magalhães (PFL-PE), prevê a extinção das MPs. - Essa PEC pode, pelo menos, abrir um debate no sentido de não permitir que o Congresso se transforme num mero ratificador de atos do Poder Executivo - afirma o deputado, que rebate a tese de que o Congresso não tem agilidade para aprovar as leis necessárias à governabilidade. Já o deputado Fernando Ferro (PT-PE) considera "esdrúxula" a proposta de extinção das MPs. Segundo ele, os parlamentares têm de adotar critérios para coibir eventuais abusos do governo. - Se houver um bom critério de admissibilidade, naturalmente será possível restringir aquilo que não for prioritário - argumenta.

Gente de OpiniãoSegunda-feira, 15 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Segunda-feira, 15 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)