Porto Velho (RO) quarta-feira, 23 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Cabral entra na chapa de Temer e boicote pode não acontecer


Agência Brasil, Luiza Damé - Agência O GloboBRASÍLIA - A bancada do PMDB no Senado vai se reunir nesta quinta-feira, na residência do presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), para decidir que rumo vai tomar após a desistência do ex-presidente do STF Nelson Jobim de concorrer à presidência do partido. Como divulgou o jornalista Ricardo Noblat em seu blog, dos 20 senadores do PMDB, 19 haviam decidido boicotar a convenção em solidariedade a Jobim. Nesta quarta, vários entraram na chapa do deputado Michel Temer (SP) .- O objetivo desta reunião é avaliar o impacto da renúncia do ministro Nelson Jobim e o comportamento que nós temos, no Senado, de quase total apoio ao governo - explicou o ministro das Comunicações, Hélio Costa.Também de acordo com o Blog do Noblat, o governador Sérgio Cabral, do Rio de Janeiro, autorizou a inclusão do seu nome na chapa de Temer para a convenção do PMDB que no próximo domingo elegerá o novo Diretório Nacional. A pedido de Lula, Cabral apoiou a candidatura de Nelson Jobim para presidente do partido. Como Jobim desistiu nesta terça-feira, Cabral cedeu ao apelo de Temer e entrou na chapa dele, como 6 governadores dos sete que o PMDB elegeu no ano passado.Os peemedebistas que apoiavam a candidatura de Jobim procuraram separar a divisão partidária do apoio ao governo. - O governo não tem nada a ver com esta questão, não está inserido nesta disputa do PMDB, não tem se manifestado nesta posição - declarou o senador Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo na Casa.Após uma reunião na liderança do PMDB no Senado, da qual participou também o ministro Silas Rondeau (Minas e Energia), Hélio Costa disse que a bancada peemedebista continuará apoiando o governo e que os problemas internos não prejudicarão a aprovação do PAC.A palavra de ordem agora é a busca da união. O caminho para a acomodação destas correntes é que ainda falta ser definido. O líder do PMDB no Senado, Valdir Raupp (RO), por exemplo, considera que o mais certo seria o presidente Michel Temer adiar a convenção de domingo para que as diferentes correntes do partido tentem a formação de uma chapa de consenso.O senador Jucá afirmou que para o Executivo o ideal seria que o partido permanecesse "unido, colaborando com o governo e ajudando o país". Jucá considera que não será fácil chegar a um entendimento com a atual Direção Nacional do PMDB, por causa do tempo curto para a busca do entendimento. Entretanto, Jucá considera que o tempo político não segue o tempo cronológico.- Eu acho difícil, hoje, este quadro, mas em política até o impossível acontece - afirmou.Dilma diz que PMDB é um partido estratégico para o governoA ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, defendeu nesta quarta-feira a participação do PMDB no governo, mas evitou entrar em polêmica sobre o espaço do PT no segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.- Eu acredito que o governo tem no PMDB um partido estratégico. Seja o PMDB do Senado, seja o PMDB da Câmara, ambos são cruciais para o governo do presidente Lula. Pretendemos que o convívio com os nossos aliados seja o melhor possível - afirmou.

Mais Sobre Política - Nacional

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que