Porto Velho (RO) terça-feira, 22 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Bancários fazem greve nacional, a partir desta quinta-feira, por tempo indeterminado


Agência O GloboRIO - A partir desta quinta-feira, os bancários de todo o Brasil entram em greve por tempo indeterminado. No Rio de Janeiro, a paralisação, que já completou uma semana, agora vai prosseguir também sem previsão para terminar.Segundo nota divulgada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), em assembléias realizadas durante a noite desta quarta-feira, os trabalhadores de, praticamente, todos os 108 sindicatos filiados à entidade seguiram as orientações do Comando Nacional da categoria e encamparam a greve nacional.- A greve é uma resposta aos banqueiros, que estão com a nossa pauta de reivindicações desde 10 de agosto e não apresentaram uma proposta decente. Por isso temos que construir uma greve forte em todo o Brasil. Só com pressão vamos conseguir aumento real de salários, PLR (Participação nos Lucros e Resultados) mais justa e melhores condições de trabalho. Nossa experiência mostra que todas as conquistas da categoria sempre vieram com muita luta - disse Vagner Freitas, presidente da Contraf-CUT.Até agora, sete rodadas de negociações foram realizadas com a Fenaban. A última proposta apresentada pelos banqueiros prevê reajuste salarial de 2,85% (equivalente à inflação do período).- Não aceitaremos proposta que não traga aumento real de salário. Além disso é necessária uma PLR que dialogue com os lucros recordes que os bancos vêm obtendo - ressalta Vagner.A categoria, que tem 400 mil trabalhadores no país, reivindica, além da reposição da inflação, 7,05% de aumento real, e Participação nos Lucros ou Resultados de 5% do lucro líquido distribuído igualmente entre os trabalhadores, mais um salário bruto e R$ 1,5 mil. A data-base é 1º de setembro.No dia 26, os bancários fizeram paralisação nacional de 24 horas. Após isso, a Fenaban ofereceu 2% de reajuste, e valor da PLR nas mesmas regras do ano passado: 80% do salário mais R$ 816 (com a aplicação do índice). A novidade foi o adicional de R$ 500, para funcionários de bancos que tiverem lucro líquido superior a 25%, em relação a 2005.Na reunião de terça-feira, convocada a pedido do Comando Nacional dos Bancários, além dos 2,85%, a Fenaban ofereceu os 80% do salário mais R$ 823 de PLR, e subiu o adicional para R$ 750, para funcionários de bancos com lucros 20% maiores que no ano passado. A nova proposta foi rejeitada nesta quarta-feira pelos bancários, durante reunião com os banqueiros.Nesta quinta-feira, segundo Freitas, os bancários deverão realizar manifestações em vários estados "para exigir seus direitos". Ele também disse esperar que a Fenaban reabra as negociações com uma nova proposta.Para os consumidores, a Fenaban recomenda que, nos dias de greve, utilizem caixas eletrônicos, telefone, internet ou correspondentes bancários (lotéricas e estabelecimentos comerciais) para fazer pagamentos. Marcolino lembra também que haverá plantões de atendimento em algumas agências para os aposentados que forem receber os benefícios.

Mais Sobre Política - Nacional

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que