Sexta-feira, 19 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Aumento do salário-mínimo aumentará o déficit da Previdência


Germano Oliveira - Agência O Globo SÃO PAULO - O aumento no salário-mínimo para R$ 380 provocará um forte impacto nas contas públicas e aumentará o déficit da Previdência, segundo a assessoria econômica da FecomércioSP. - São 16 milhões de pensionistas. O aumento de R$ 30 no salário-mínimo levará a um impacto de R$ 6 bilhões na Previdência, ou R$ 1 bilhão a mais se o salário-mínimo tivesse sido fixado em R$ 375 como queria o ministro Mantega (Guido Mantega, da Fazenda). Assim, se o governo mantiver o superávit em 4,25% do PIB, terá que cortar gastos de outros setores ou reduzir ainda mais a sua capacidade de investimento, que já é de 1% do PIB - disse Fernanda Della Rosa, assessora econômica da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (FecomércioSP). A economista entende que esse aumento nos gastos na Previdência não compensará o dinheiro que o salário mínimo injetará na economia. - Como 10 milhões de brasileiros ganham salário-mínimo, o aumento de R$ 30, significará R$ 4 bilhões a mais na economia. Mas esse é um valor desprezível pois ele terá um impacto de apenas 0,4% no que as famílias consomem. Assim, o aquecimento do comércio será irrisório, se comparado aos efeitos nocivos que o aumento terã nos gastos públicos - completou Fernanda Della Rosa. Ela acha que o ideal seria desvincular o aumento do salário mínimo dos pagamentos de pensionistas. - O aumento do salário-mínimo para R$ 380 significa um aumento real de 5,40%. No ano passado, ao aumentar de R$ 300 para R$ 350, o aumento real já foi de 11%. Nesse ritmo, a Previdência não aguenta sem reformas - disse a economista da Fecomércio. Para o empresário Paulo Godoy, presidente da Associação Brasileira da Indústrias de Base e da Infraestrutura (Abdib), o aumento do salário-mínimo acima do que previa o Orçamento anterior, trará de volta em 2007 a necessidade de se fazer nova reforma na Previdência. - Vamos ter que retomar a agenda da reforma da Previdência. O maior impacto ao aumento do salário para R$ 380 será no déficit da Previdência. Embora o salário-mínimo ainda afete a iniciativa privada porque ele é referência em várias empresas do país, o maior efeito é nas contas públicas. O que não pode acontecer é que para tapar esse déficit se aumente a carga tributária. As empresas não suportam mais aumento de impostos. Por outro lado, o governo também não pode fazer cortes nos investimentos. Sem os investimentos públicos, o governo terá que retomar também a agenda de atrair investimentos privadas para melhorar a infraestrutura do país. E para que isso seja possível, o governo vai ter que reduzir impostos e a taxa de juros - disse Paulo Godoy.

Gente de OpiniãoSexta-feira, 19 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Sexta-feira, 19 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)