Porto Velho (RO) quarta-feira, 23 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Anac editará portaria para obrigar companhia aérea a ter avião reserva


Flávia Barbosa e Henrique Gomes Batista - Agência O GloboBRASÍLIA - O presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuannazzi, informou nesta quinta-feira que o órgão regulador baixará, ainda este mês, uma portaria pela qual as empresas aéreas serão obrigadas a manter aeronaves de reserva em solo para cobrir eventuais complicações mecânicas ou em sua malha aérea. O conceito de reserva será aplicado ainda a outras situações e etapas de operação da companhia aérea, como check-in e despacho de bagagem. A legislação brasileira não dispõe hoje de artigos que enfoquem estas necessidades.Esta medida faria parte de um plano permanente de contingenciamento, a ser implementado por todas as empresas aéreas. Também será instituída, já nos próximos dias, uma minuta estabelecendo o acesso on-line, pela Anac, às centrais de reserva das companhias, de forma a permitir, sempre que necessário, um monitoramento direto do órgão regulador, para evitar situações como a ocorrência de overbooking, que pode originar um efeito-cascata em vários aeroportos, transtornando a vida dos passageiros.- Falta (ao setor aéreo) é back-up - afirmou Zuannazzi.- O que há de comum em todas as crises que tivemos este ano foi reserva. De controlador de vôo, de rádio, de aeronave - disse. Segundo Denise Abreu, diretora da Anac, a portaria será inspirada em outras já editadas para tratar de plano de contingenciamento - como as que visam a prevenir acidentes ambientes. Isso significa que "o paradigma", nas palavras da diretora, será definir as regras e os critérios que devem ser observados na formulação do plano de contingência, cabendo às empresas determinar, de acordo com suas malhas, frota e necessidades, quantas aeronaves poderá dispor para o sistema de reserva, e em quais aeroportos.Questionados se o plano de contingência não implicaria em elevação dos custos das empresas, uma vez que aeronave no solo é aeronave desocupada mas pagando as tarifas aeroportuárias, Zuannazzi e Denise acreditam que não se trata de um raciocínio tão simples:- Não necessariamente (o plano) vai elevar o preço das passagens. Na relação custo-benefício, o que é melhor para a empresa? Arcar com este custo maior (aeronave em solo) ou enfrentar ações dos clientes, que têm valores altos, ou perder seus clientes? - ponderou Denise Abreu.

Mais Sobre Política - Nacional

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que