Porto Velho (RO) quinta-feira, 16 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Alta do mínimo não combate desigualdade


Luciana Rodrigues (Agência O Globo)RIO - O reajuste do salário mínimo não é o fator que explica a significativa queda na desigualdade de renda do trabalho desde 2004. A constatação é da pesquisa "Redistribuição à brasileira: ingredientes trabalhistas", divulgada pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (CPS-FGV).O economista Marcelo Neri, chefe do CPS-FGV, analisou os microdados da Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE e constatou que, entre março de 2002 e junho de 2006, a fatia da renda do trabalho apropriada pelos 50% mais pobres entre os trabalhadores das seis maiores regiões metropolitanas do país cresceu de 10,11% do total para 12,20% do total.O Índice de Gini - um termômetro da desigualdade que, quanto mais perto de zero, melhor - da renda domiciliar per capita do trabalho caiu de 0,633 para 0,6. E o percentual dos trabalhadores pobres caiu de 23,95% para 18,57% do total.No entanto, o grande avanço nesses indicadores ocorreu entre abril e julho de 2004. Nesse curto período, a fatia de renda apropriada pelos 10% mais pobres cresceu de 10,50% para 11,62% do total, o Índice de Gini caiu de 0,626 para 0,609 e o número de pobres de 23,88% para 19,45% do total. E, em 2004, o salário mínimo sofreu um pequeno reajuste, de R$ 240 para R$ 260, apenas repondo perdas da inflação, ou seja, sem ganho real para os trabalhadores. Em compensação, em 2005 houve aumento real de 9% no salário mínimo e, este ano, de 13%. Entretanto, não houve uma redução drástica da desigualdade como ocorreu em 2004.Neri analisou ainda os números do emprego formal no período do reajuste do salário mínimo. Entre abril e julho de 2005 - o reajuste do ano passado foi em maio - houve uma redução de 14,15% no número de postos de trabalho formais na faixa salarial afetada pelo mínimo, ou seja, entre R$ 260 (piso antes do reajuste) e R$ 300 (piso depois do reajuste).Entre março e junho de 2006 - este ano, o salário mínimo subiu em abril - a queda no número de postos de trabalho na faixa mais sensível (entre R$ 300 e R$ 350, ou seja, valor anterior e posterior do piso) foi de 19,13%.- Com o reajuste do salário mínimo, muitos trabalhadores perdem o emprego ou caem na informalidade. No passado, o efeito positivo do salário mínimo na redução da pobreza era muito forte. Os números mostram que a partir de 2004 isso já não é mais tão evidente. É preciso levar em conta que o salário mínimo aumentou 100% em termos reais desde 1995. Talvez seus efeitos adversos sobre o mercado de trabalho agora já superem os seus efeitos positivos - afirmou Neri.O economista defende o que ele chama de "novas políticas sociais", como o Bolsa Família que, na sua opinião, tem um efeito na redução da pobreza e da desigualdade muito mais intenso do que o reajuste do salário mínimo.- O problema é que o salário mínimo ocupa uma posição no imaginário popular como grande política social que, ao meu ver, não se justifica - completou.

Mais Sobre Política - Nacional

Grupo Abril pede recuperação judicial

Grupo Abril pede recuperação judicial

O grupo Abril entrou com um pedido recuperação judicial nesta quarta-feira (15); plano de recuperação judicial será mostrado aos credores em até 60 di

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Está revogada a decisão do Carf que havia livrado o banco de pagamento de multa de R$ 26 bilhões por sonegação de impostos; é a maior da história...

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários protestam contra as resoluções da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da Uni

Trabalhadores de todas as idades já podem sacar cotas do Pis/Pasep

Trabalhadores de todas as idades já podem sacar cotas do Pis/Pasep

Trabalhadores de todas as idades que tiverem direito a cotas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servid