Porto Velho (RO) sexta-feira, 17 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Aécio Neves adota discurso moderado na posse, em Minas


Agência O GloboBELO HORIZONTE - Em Minas Gerais, que tem o segundo maior colégio eleitoral do Brasil, tomou posse nesta segunda-feira o governador reeleito pelo PSDB, Aécio Neves, que adotou um discurso moderado. Aécio evitou críticas e referências diretas ao governo federal, dando clara demonstração de que pretende manter o relacionamento cordial com o presidente Lula que marcou os primeiros quatro anos de mandato.O governador fez um longo relato histórico, homenageando a líderes mineiros do passado, com destaque para Tiradentes, o ex-presidente Juscelino Kubitschek e seu avô, Tancredo Neves. Aécio reafirmou compromissos de campanha, exaltou o choque de gestão, considerado o carro-chefe do primeiro mandato e voltou a cobrar a revisão do pacto federativo, na única referência direta à União:- Não haverá crescimento verdadeiro, não haverá desenvolvimento consolidado, não haverá democracia plena, enquanto não refundarmos a federação e os princípios norteadores da república brasileira. Os avanços que o país precisa não acontecerão enquanto não tivermos a coragem de desconcentrar recursos, enquanto não houver autonomia administrativa para estados e municípios, enquanto não houver a tão sonhada justiça tributária.Um Rolls Royce 1953 levou Aécio Neves à Assembléia Legislativa. O primeiro governador reeleito de Minas afirmou que vai trabalhar por mudanças na distribuição de impostos e nos repasses dos recursos da União para os estados.- Não alcançaremos a justiça social que todos almejamos enquanto não tivermos a coragem de desconcentrar recursos, enquanto não houver autonomia administrativa para os estados e municípios - discursou Aécio Neves, governador de Minas Gerais.Aécio pediu responsabilidade pública, maturidade e solidariedade para melhorar as condições de vida do povo mineiro e brasileiro. - Eu não tenho dúvidas de que Minas poderá se transformar no estado brasileiro que mais venha a crescer e que mais empregos vai gerar para sua gente. Com planejamento, com eficiência na administração dos recursos públicos e certamente com uma boa dose de ousadia.Quando assumiu o governo, em 2003, o estado gastava mais do que arrecadava. Menos de dois anos depois, as contas públicas saíam do vermelho. As ações para atingir o chamado déficit zero foram o carro-chefe da campanha à reeleição.Da Assembléia, Aécio Neves se dirigiu ao Palácio da Liberdade, sede do governo, onde repetiu os rituais seguidos pelo avô quando assumiu o mesmo cargo há 24 anos. Primeiro, na praça da Liberdade, fez uma reverência à bandeira de Minas Gerais, foi recebido nos portões do palácio pelos Dragões da Inconfidência e em seguida discursou da sacada às cerca de 3 mil pessoas que assistiam a tudo das ruas no entorno da praça.

Mais Sobre Política - Nacional

Engenharia do caos: 27 milhões sem trabalho

Engenharia do caos: 27 milhões sem trabalho

O jornalista e escritor Palmério Dória denuncia em seu Twitter o cinismo escancarado do Grupo Globo em omitir o que ele chama de 'engenharia do caos';

 Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

O desembargador do TRF-4 Rogério Fraveto, que em 8 de julho determinou a soltura do ex-presidente Lula, decisão que não foi cumprida, disse, em sua de

Grupo Abril pede recuperação judicial

Grupo Abril pede recuperação judicial

O grupo Abril entrou com um pedido recuperação judicial nesta quarta-feira (15); plano de recuperação judicial será mostrado aos credores em até 60 di

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Está revogada a decisão do Carf que havia livrado o banco de pagamento de multa de R$ 26 bilhões por sonegação de impostos; é a maior da história...