Porto Velho (RO) terça-feira, 13 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Ações da empresa da Gol abrem em forte queda após tragédia do vôo 1907


Agência O GloboRIO - A tragédia da queda do Boeing 737-800 da Gol pegou a companhia aérea em um momento de plena expansão dos seus negócios e já derruba as ações da empresa nesta segunda-feira. Os papéis preferenciais da empresa, 20 minutos após a abertura da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), caíam 3,08%, para R$ 72,69, enquanto o Índice Bovespa subia 2,25%.As ações da Embraer, fabricante do jato Legacy, que colidiu com o Boing da Gol antes deste último cair com 155 pessoas a bordo, recuavam 0,42%, para R$ 21,21.No último grande acidente da aviação comercial brasileira, antes da tragédia da Gol, a tragédia impactou os negócios da companhia aérea com força. Segundo reportagem do jornal "Valor Econômico", após a queda do Fokker-100 da TAM, em 31 de outubro de 1996, houve uma queda de 70% no número de passageiros da companhia nas duas primeiras semanas após o acidente.As ações da TAM perderam 22% do valor em apenas um dia. Em entrevista ao "Valor", o vice-presidente da TAM na época, Luiz Eduardo Falco (atualmente na Telemar), estimou o custo de um acidente aéreo em US$ 1 bilhão só com os danos à imagem da empresa, excluindo aí indenizações e o próprio avião, coberto por seguro.Em relação ao acidente desta sexta-feira, no entanto, especialistas ressaltam que a situação é bem diferente, mas não negam que deverá haver impacto. Primeiramente, as aeronaves da família Boeing 737, usados pela Gol, além de nova, tem ótima reputação no mercado brasileiro, ao contrário do Fokker-100, que teve vários outros registros de acidentes.- A repercussão comercial, se houver, será insignificante - afirmou o ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia, mas lembrando que a empresa precisará fazer "um trabalho de relações públicas", acrescentou Mares Guia.A companhia iniciou suas operações em janeiro de 2001 e atingiu uma participação no mercado brasileiro de aviação de 33% nos oito primeiros meses deste ano (últimos dados disponíveis). A taxa de agosto de ocupação da companhia em agosto foi de 77%.Segundo a reportagem do "Valor", algumas projeções de mercado já apontam uma queda de até quatro pontos percentuais na taxa de ocupação da Gol, em outubro, mas o movimento não teria como ir além disso porque, com atual concentração de mercado, as outras companhias não teriam como absorver a eventual transferência de passageiros.Os especialistas responsáveis por essas estimativas lembram que TAM e Gol detêm, juntas, quase 90% do mercado doméstico. A Varig opera com apenas 10 aeronaves nas rotas nacionais e as demais concorrentes não têm oferta suficiente para absorver um aumento da demanda.O diretor-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, reconheceu que todo acidente aéreo traumatiza os passageiros por um tempo. Entretanto, ele elogiou a atuação da Gol e lembrou que o setor aéreo no país está crescendo a taxas inéditas e minimiza impactos.- Não creio (em reflexos negativos para a Gol). Os sistemas de controle e de manutenção são muito rigorosos, e podemos garantir que a fiscalização brasileira é uma das mais respeitadas do mundo.

Mais Sobre Política - Nacional

JUÍZA SUBSTITUTA DE MORO NEGA PEDIDO DE LULA PARA SER INTERROGADO DE NOVO

JUÍZA SUBSTITUTA DE MORO NEGA PEDIDO DE LULA PARA SER INTERROGADO DE NOVO

A juíza federal substituta Gabriela Hardt negou, nesta terça-feira (13), o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que ele

Bolsonaro anuncia o general Fernando Azevedo e Silva para a Defesa

Bolsonaro anuncia o general Fernando Azevedo e Silva para a Defesa

A pasta seria ocupada inicialmente pelo general Augusto Heleno

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

O exame tem validade de cinco anos para condutores com menos de 65 anos.

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro e Boulos precisam decidir se querem dar um passo em frente ou dois passos atrás.