Porto Velho (RO) sexta-feira, 30 de julho de 2021
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

A importância das mulheres no Cooperativismo Brasileiro


 
As mulheres representam, aproximadamente, 25% dos associados e 12% dos ocupantes de cargos de direção no cooperativismo brasileiro.

  
“Para nossa satisfação, as cooperativas do estado de Rondônia vem incentivando a participação feminina no sistema cooperativista. Pelo menos treze mulheres ocupam a presidência de cooperativas singulares. Isto já representa dez por cento das cooperativas registradas na OCB-RO”, informa Rosania Franco Ferreira Pego, que ocupa a mais alta posição estadual no sistema, como Superintendente do Sistema OCB/SESCOOP-RO.

Rosania Franco (foto), 35 anos, administradora de empresas, há três anos participou da reestruturação da OCB e do SESCOOP, em Rondônia, iniciando a carreira cooperativista como auxiliar administrativa. Casada, e com três filhos, Rosania é a mais importante peça executiva do Sistema OCB e SESCOOP rondoniense.

As outras treze mulheres que brilham com seu dinamismo e competência na direção de cooperativas no estado de Rondônia são:

- Claudenice Ferreira dos Santos – COOPERO (Cooperativa Educacional de Rondônia);
- Sueli de Almeida Lopes - COEDA (Cooperativa Educacional e de Desenvolvimento da Amazônia);
- Fátima Ferreira dos Anjos - COOPED (Cooperativa dos Profissionais em Educação de Jaru);
- Carolina Torres Frozoni - COOPEVI (Cooperativa Educacional de Vilhena);
- Célia Garcia de Souza - COOTRARON (Cooperativa de Trabalho Múltiplo de Rondônia);
- Maura Aparecida Silveira Prada - COOPERMARCA (Cooperativa de Coletores de Materiais  Recicláveis  de Cacoal da Amazônia);
- Josélia dos Santos Pierre Rossi - COOPERFAMILIA (Cooperativa de Produção das Famílias Cacoalenses);
- Edna Cristina da Silva Santos - PRODÍGIOS (Cooperativa Mista de Produção, Serviços e Atividades Gerais);
- Fátima Streiling T. Milani - ARTESAM (Cooperativa de Artesãos Sonho Meu);
- Ana Figueiredo de Carvalho dos Santos - COOPCORTE (Cooperativa Corte e Costura Urbana e Rural de Candeias do Jamari);
- Estela Maria de Araújo Sales – COOPEN (Cooperativa dos Profissionais de Enfermagem);
- Simone da Silva Neres Sant´Ana – CREDIFORTE (Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal do Estado de Rondônia); e,
- Raquel Fernandes Magalhães Graeff - EMPRECRED (Cooperativa de Crédito dos Empresários de Ji-Paraná).

Em termos de Brasil

As mulheres representam, aproximadamente, 25% dos associados e 12% dos ocupantes de cargos de direção no cooperativismo brasileiro. O Programa de Gênero e Cooperativismo: Integrando a Família (Coopergênero), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), criado em 2004, atua na inclusão da mulher no cooperativismo e incentiva a geração de emprego e renda.
De acordo com a coordenadora-geral de autogestão cooperativista, Vera Lúcia Daller, mais de 25 mil mulheres foram capacitadas para atuar na cadeia produtiva. Foram investidos mais de R$ 2 milhões de reais aplicados em atividades de sensibilização em 20 estados.
- “Seguimos a tendência mundial de estimular a participação da mulher na economia”, explica a coordenadora.

Programas 

Os treinamentos abordam temas como cidadania, economia e produção e promovem gestão e organização cooperativista com base no desenvolvimento sustentável. “Permitimos que a mulher participe de toda a cadeia produtiva, levando seu produto para as gôndolas dos supermercados e abrindo caminho para possíveis negócios, como a exportação”, informa Vera Lúcia.

Pioneiras

Uma das primeiras ações do Coopergênero foi desenvolvida no município de Três de Maio/RS, na Cooperativa Agropecuária Alto Uruguai (Cotrimaio). Mais de 600 esposas e filhas de cooperados participaram, entre 2004 e 2005, da capacitação realizada pelo programa.

Na Cooperativa dos Floricultores do Estado da Paraíba (Cofep), 37 mulheres comandam a produção de flores. A presidente, Karla Rocha, explica que as ações do Coopergênero foram fundamentais para o desenvolvimento das mulheres envolvidas no negócio.
- “Tínhamos a mão-de-obra e mercado, mas faltava o conhecimento. Foi com a capacitação das produtoras que a cooperativa se desenvolveu”, conta.
Hoje, são distribuídos mil pacotes de flores por semana, cada um com 25 hastes. A produção é vendida para os estados do Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba.

Presidentas

Atualmente são mulheres que exercem o cargo de superintendente nas organizações cooperativas (OCEs) dos seguintes estados brasileiros: Tocantins (Maria José Andrade Leão de Oliveira), Amapá (Maria Doriane de Carvalho),  Goiás (Maria Silvia de Azevedo Correa), Maranhão (Márcia Teresa Correia Ribeiro Nery), Mato Grosso do Sul (Dalva Garcia Caramalac), Pernambuco (Cleonice Pereira Pedrosa), São Paulo (Florysneide Fortunato Campanha da Silva), além de Rondônia, cuja superintendente Rosania Franco Ferreira Pego é destaque nesta reportagem.

Além do importante destaque acima, a OCB do estado do Maranhão é presidida por uma mulher. Trata-se de Adalva Alves Monteiro.

FONTE: DeCom-OCB/SESCOOP-RO - [email protected] 

Mais Sobre Política - Nacional

Mariana Carvalho defende novas medidas aprovadas pelo Congresso no enfrentamento à Covid-19

Mariana Carvalho defende novas medidas aprovadas pelo Congresso no enfrentamento à Covid-19

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO) defendeu nesta quinta-feira (2) as medidas que estão sendo aprovadas pela Câmara e pelo Senado no

Relator revisor da MP 924 - Coronavírus, Dep Lucio Mosquini destaca liberação de 5 Bilhões para enfrentamento da crise na saúde

Relator revisor da MP 924 - Coronavírus, Dep Lucio Mosquini destaca liberação de 5 Bilhões para enfrentamento da crise na saúde

O deputado federal Lucio Mosquini é o relator revisor da MP 924/2020, conhecida como MP do Enfrentamento do coronavírus. O Senador Eduardo Gomes també

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Rede Brasil Atual - Deputados da oposição anunciaram hoje (5) que vão apresentar denúncia no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro da Edu